Nos próximos anos, turismo rural e religioso será cada vez mais valorizado em Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Jaraguá do Sul

Por: Maria Luiza Venturelli

04/07/2015 - 16:07 - Atualizada em: 04/07/2024 - 16:49

Não é novidade que o centro de Jaraguá do Sul, com os muitos endereços gastronômicos, passando pelo Shopping, praças e hotéis, atrai muitos visitantes e turistas de todas as regiões. Não é diferente com o Parque da Inovação, Parque Linear Via Verde, Parque Malwee, Pico Malwee, Chiesetta Alpina e Morro Boa Vista.

O que muitos jaraguaenses não sabem é que o futuro do turismo do município reserva novos projetos para áreas menos conhecidas pela população em geral. Os planos incluem a expansão e diversificação das atrações, promovendo um turismo mais abrangente e atrativo para todos os visitantes.

Um pedacinho da Europa em meio ao município

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Jaraguá do Sul

Situado no interior de Jaraguá do Sul, o Vale Tombado do bairro Rio da Luz é um verdadeiro pedaço da Europa no Brasil. O conjunto rural, caracterizado por suas edificações típicas da arquitetura teuto-brasileira, representa não só um legado do passado, mas também uma região em constante crescimento, com um futuro promissor no turismo.

Reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), o Vale Tombado é uma jóia cultural que rivaliza com as mais famosas cidades históricas do Brasil, como Ouro Preto, Salvador e São Luís do Maranhão.

Visitar o Vale Tombado é uma experiência que transporta os visitantes ao passado. Ao abrir as janelas, é possível sentir o perfume da natureza, ouvir o canto dos pássaros e contemplar as belíssimas construções em estilo enxaimel, características dos colonos alemães que colonizaram a região. As edificações são cuidadosamente conservadas, preservando um autêntico pedaço da Alemanha no coração de Santa Catarina.

Em 2007, partes dos bairros Rio da Luz, em Jaraguá do Sul, e Testo Alto, em Pomerode, foram oficialmente reconhecidas como patrimônio histórico nacional. Este tombamento foi pioneiro no Brasil ao incluir não apenas as construções, mas toda a paisagem cultural. No entanto, a decisão gerou controvérsias, resultando em debates sobre os limites entre interesses públicos e privados.

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Jaraguá do Sul

O Conjunto Rural de Rio da Luz é caracterizado por edificações e núcleos urbanos e rurais que testemunham a imigração alemã em Santa Catarina. O processo de tombamento começou nos anos 1990, com o dossiê finalizado em 2007 e a efetivação do tombamento em 2015, integrando a região aos Roteiros Nacionais de Imigração.

O sítio tombado destaca-se pela predominância de atividades rurais e residenciais, além de pequenos comércios, igrejas e associações recreativas locais, preservando os elementos essenciais do modelo de ocupação territorial estabelecido pelos imigrantes.

Arquitetonicamente, o sítio é composto por edificações rurais de valor cultural, utilizadas para residência, comércio, religião e recreação, todas representantes da arquitetura teuto-brasileira. Essas construções devem ser cuidadosamente preservadas, mantendo suas características originais de volume, materiais e técnicas construtivas.

O futuro do Vale Tombado é promissor. Com um crescente foco no fortalecimento do turismo, a região oferece diversas opções gastronômicas, passeios e visitas guiadas a plantações, entre outras atividades. O objetivo é integrar ainda mais o Vale ao fluxo turístico de Pomerode, criando uma conexão rica em história e cultura.

De acordo com o prefeito Jair Franzner, uma das prioridades de Jaraguá do Sul é valorizar cada vez mais o turismo na região. “O município preza pela preservação cultural, histórica e pelo turismo que isso pode atrair, começando pelo Vale Tombado, no Rio da Luz”, resume.

Oportunidade de turismo religioso

Foto: Divulgação/ Instituto Padre Aloísio

Todos os meses, quando o dia 17 chega, pelo menos mil pessoas se dirigem à igreja Nossa Senhora do Rosário, no bairro Nereu Ramos. É como se metade do bairro fosse à igreja ao mesmo tempo, mas são, em sua maioria, pessoas de outras cidades e estados que ajudam a preencher cada espaço do templo. O número duplica quando é 17 de abril, data em que o padre Aloísio Boeing faleceu.

O religioso, falecido em 2006, é o motivo para tantas pessoas procurarem a igreja do bairro Nereu Ramos. Aloísio Boeing nasceu em 24 de dezembro de 1913 em Vargem do Cedro, em uma família católica alemã. Desde jovem, foi influenciado pela devoção religiosa de seus pais e, aos 12 anos, decidiu seguir o sacerdócio, entrando no Seminário Menor Dehoniano.

Ele foi ordenado sacerdote em 1º de dezembro de 1940 e dedicou grande parte de sua vida à formação de novos religiosos, atuando como mestre de noviços por 24 anos em Jaraguá do Sul. Em 1974, fundou a Fraternidade Mariana do Coração de Jesus, que continua ativa até hoje, promovendo a vida comunitária católica para jovens mulheres.

Padre Aloísio era muito procurado para aconselhamento espiritual e nunca deixou de atender quem o procurava, mesmo nos últimos dias de sua vida. Ele faleceu em 17 de abril de 2006 e foi sepultado ao lado da Igreja Nossa Senhora do Rosário.

Foto: Divulgação/ Instituto Padre Aloísio

Desde sua morte, o túmulo de Padre Aloísio se tornou um local de peregrinação. Fiéis acreditam que visitar seu túmulo traz bênçãos e graças. Relatos de milagres e curas atribuídos à intercessão de Padre Aloísio aumentaram ainda mais a sua popularidade como figura religiosa, o que impulsionou o turismo na região.

Em 2023, o Papa Francisco reconheceu as virtudes heróicas do padre, conferindo-lhe o título de Venerável, um passo importante no processo de beatificação, além de atrair um público cada vez maior para Jaraguá do Sul, impulsionando o turismo religioso.

“É uma grande alegria para o Instituto Padre Aloísio apresentar esse espaço a todos os benfeitores, devotos e amigos do Padre Aloísio, que sempre apoiam e não medem esforços para fortalecer a causa do Venerável”, resume o instituto.

Schützenfest cresce mais a cada ano

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Jaraguá do Sul

A Schützenfest surpreende e encanta mais a cada ano aqueles que participam do evento repleto de cultura, diversão e celebração. A 33ª edição, realizada em 2023, bateu todos os recordes anteriores, atraindo um público impressionante de 149 mil pessoas ao longo dos 10 dias de festividades. O feito representa um aumento em relação ao ano anterior, quando 144 mil visitantes prestigiaram a festa em 2022.

Para Alcides Pavanello, presidente da Comissão Central Organizadora (CCO) da Schützenfest, o sucesso crescente do evento é resultado do árduo trabalho e dedicação de toda a equipe ao longo do ano.

“Empenho este que fez ser batido, novamente, mais um recorde de público passando das 144 mil pessoas para 149 mil em 2024”, comemorou.

A Schützenfest é uma celebração das raízes germânicas e da rica herança cultural de Jaraguá do Sul. O evento oferece uma ampla variedade de atrações, incluindo competições de tiro, apresentações musicais, danças folclóricas, desfiles, gastronomia típica e muito mais.

Foto: Divulgação/ Prefeitura de Jaraguá do Sul

A atmosfera vibrante e acolhedora atrai pessoas de todas as idades e regiões, transformando a cidade em um verdadeiro ponto de encontro para famílias, amigos e entusiastas da cultura alemã.

Com o recorde de público alcançado em 2023, as expectativas para as próximas edições são ainda mais promissoras. A organização já está planejando novidades e melhorias para receber um número ainda maior de visitantes.

A projeção para o futuro da Schützenfest é otimista. Espera-se que a festa continue a atrair um público cada vez maior, permanecendo como um dos eventos mais importantes do calendário cultural de Jaraguá do Sul e do Brasil.

Notícias no celular

Whatsapp

Maria Luiza Venturelli

Jornalista apaixonada por contar histórias inspiradoras, formada pela Faculdade Ielusc