Jaraguá do Sul intensifica ações no combate à dengue

Foto: Divulgação PMJS

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

19/02/2024 - 13:02 - Atualizada em: 19/02/2024 - 13:19

A Secretaria de Saúde está intensificando as ações contra o Aedes aegypti. Na última sexta-feira (19), por exemplo, ocorreu uma reunião para discutir estratégias de combate ao mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika e febre amarela urbana. Estiveram presentes representantes da Associação Empresarial (ACIJS), da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), da coordenadoria regional da Defesa Civil e da Secretaria de Saúde. No encontro também foram repassados os dados relativos à dengue.

A presidente da ACIJS, Ana Clara Franzner Chiodini, disse que o primeiro passo é replicar a conscientização entre os colaboradores e áreas de atuação. “Sabíamos do problema, mas não da gravidade, da dimensão. Precisamos desenvolver ações e práticas efetivas no combate a doença e ao mosquito transmissor”, pontuou.

O presidente da CDL local, Paulo Roberto Schwarz, disse que haverá uma mobilização entre os mais de 1,2 mil associados e os cerca de 12 mil colaboradores que atuam no comércio.

“Teremos o dia “D” de combate ao mosquito transmissor da dengue. Estamos organizando uma reunião para tratar do assunto para que seja uma data marcante, pois se trata de algo muito sério que precisa da participação da comunidade local e regional”, enfatizou.

O secretário de Saúde, Alceu Gilmar Moretti, destacou que, dentre as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, a dengue é a que mais preocupa, pois além de sobrecarregar os leitos hospitalares, pode deixar os pacientes debilitados e afastá-los por vários dias do trabalho. Já, em sua forma mais aguda, pode até levar à morte. Outro agravante se deve ao fato de que os focos do mosquito e os casos confirmados de dengue, aumentaram consideravelmente nos primeiros meses de 2024.

“Para se ter uma ideia, nos primeiros 45 dias de 2023, tivemos 03 casos confirmados de dengue, e agora em 2024 já foram 54 casos. Destes, 30 contraídos dentro do município (autoctenes). Se não cuidarmos vamos ter problemas sérios nos casos que precisarem de atendimento hospitalar”, alertou. Segundo Moretti, é preciso ações permanentes nas residências e locais de trabalho, eliminando possíveis criadouros de mosquitos. “São medidas simples que apresentam bons resultados. Apenas 10 minutos por semana é tempo suficiente para eliminar os criadouros do Aedes aegypti”, afirma.

Dengue em SC

De acordo com o último informe epidemiológico, até o dia 14 de fevereiro de 2024, eram 13 mil casos confirmados da doença e 11,5 mil focos do mosquito, sendo 155 municípios considerados infestados.

Óbitos

– Joinville (5)
– São Francisco do Sul (1)
– Araquari (1)
– Itajaí (1)