Instituto confirma febre maculosa em casal que morreu após viagens para SP e MG

A febre maculosa é transmitida pelo carrapato-estrela infectado por uma bactéria. Para transmitir a doença, ele precisa ficar ao menos quatro horas fixado na pessoa | Foto: Reprodução internet

Por: Elisângela Pezzutti

13/06/2023 - 09:06 - Atualizada em: 13/06/2023 - 09:27

Foi confirmada nesta segunda-feira (12), pelo Instituto Adolfo Lutz, que a causa da morte da dentista Mariana Giordano e de seu namorado, o piloto de automobilismo Douglas Costa, foi a febre maculada. Os dois morreram no último dia 8 de junho, depois de passarem mal repentinamente, apresentando sintomas como febre, dores e manchas vermelhas no corpo.

Conforme relatos, Mariana percebeu marcas de picada de inseto em seu corpo depois de viajar para Campinas (SP). Em seguida, o casal foi para Monte Verde (MG). No segundo dia deles no lugar, Mariana começou a apresentar os sintomas.

O que é a febre maculosa

A febre maculosa é uma doença transmitida pelo carrapato-estrela ou micuim da espécie Amblyomma cajennense infectado pela bactéria Rickettsia rickettsii. Esse carrapato hematófago (que se alimenta de sangue) pode ser encontrado em animais de grande porte (bois cavalos etc.), cães, aves domésticas, roedores e, principalmente, na capivara.

Com período de incubação de dois a 14 dias, seus sintomas podem ser confundidos com outras doenças que causam febre alta. Douglas e Mariana começaram a apresentar os sintomas no dia 3 de junho.

Como a febre maculosa é potencialmente letal, é necessário atendimento médico rápido e uso de antibiótico específico para conter a doença.

Em São Paulo, há duas espécies da bactéria – a Rickettsia rickettsii e a Rickettsia parkeri . A cidade de Campinas — onde o casal esteve — e de Piracicaba, também no interior de São Paulo, são atualmente os dois municípios brasileiros que têm o maior número de casos registrados da doença.

Desde o início do ano até agora foram registrados nove casos de febre maculosa e três mortes.

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo alerta pessoas que moram ou visitam áreas de transmissão para que fiquem atentas ao menor sinal de febre e que procurem um serviço médico informando que estiveram nessas regiões para fazer um tratamento precoce e evitar o agravamento da doença.

Notícias no celular

Whatsapp