Centro de triagem e reabilitação de animais silvestres será instalado em Joinville

Foto: Divulgação/IMA

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

04/10/2023 - 08:10 - Atualizada em: 04/10/2023 - 10:33

O Instituto do Meio Ambiente de Santa Catarina (IMA), emitiu na última sexta-feira (29) através da Gerência de Biodiversidade e Florestas (GEBIO), ligada à Diretoria de Biodiversidade e Florestas do IMA (DBIO), a Autorização de Instalação do Centro de Triagem e Reabilitação de Animais Silvestres (CETRAS), que permitirá o início das obras junto ao Campus Park UniSociesc, localizado no bairro Boa Vista, em Joinville.

O empreendimento é resultado de um acordo assinado pela UniSociesc, Ministério Público Federal (MPF) e IMA, sendo o segundo CETRAS para o atendimento de animais silvestres terrestres devidamente autorizado em Santa Catarina. O recurso para instalação das obras é de cerca de R$1,2 milhão oriundo de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) celebrado pelo MPF com empresa da região norte do Estado de Santa Catarina.

“Trata-se de um importante avanço à gestão da fauna silvestre em território catarinense, pois até o momento o Estado conta com apenas um empreendimento localizado em Florianópolis que opera na sua capacidade máxima para o atendimento de toda fauna resgatada e apreendida do Estado”, comenta a presidente do IMA, Sheila Meirelles.

A diretora de Biodiversidade e Florestas, Sabrina Nunes Cataneo Maestri, explica que o novo CETRAS permitirá não apenas uma ampliação na capacidade de atendimento como a descentralização desse serviço.

“Esse fator é crucial para diminuir a necessidade de deslocamento dos animais, possibilitando mais agilidade no atendimento e impactando positivamente na recuperação da saúde dos animais, além de diminuir os riscos de circulação de patógenos entre diferentes regiões do Estado”, reforça a diretora.

Outro importante aspecto a ser considerado nesta parceria é a relevante contribuição que uma ação do Estado pode oferecer a capacitação e formação de profissionais, neste caso, especificamente, médicos veterinários, além de fortalecer a pesquisa científica na área de silvestres.

Cabe frisar que a apreensão de animais silvestres pelo órgãos competentes é de suma importância para o combate ao tráfico de animais silvestres e à preservação da fauna, mas esta deve ser realizada considerando a destinação que será dada aos animais imediatamente após sua apreensão, uma vez que a ausência de atendimento profissional qualificado pode resultar em danos à saúde e sobrevivência dos animais.

Após instalado e em funcionamento o local, caberá ao IMA arcar com os custos de medicação e alimentação e à UniSociesc os custos com manutenção da estrutura, pessoal habilitado ao atendimento dos animais, exames de imagem e outros. A instalação do novo CETRAS está prevista para ser concluída em 2024 e representa o fortalecimento de parcerias interinstitucionais em diferentes regiões do estado com o objetivo prioritário de fortalecer a gestão de fauna silvestre.

Notícias no celular

Whatsapp