Estudo divulga que mar pode “engolir” cidades brasileiras até 2050

Foto: Divulgação/Prefeitura de Santos

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

29/11/2023 - 12:11 - Atualizada em: 29/11/2023 - 12:57

Segundo um estudo divulgado pela Organização das Nações Unidas (ONU), há a previsão de que uma parte da cidade de Santos, localizada no litoral de São Paulo, possa ser submersa pelas águas do mar até o ano de 2050. O fenômeno, que promete afetar a vida de milhares de pessoas, é atribuído aos impactos das mudanças climáticas nas inundações costeiras, conforme indicado no relatório publicado nesta terça-feira (28).

O estudo menciona o município do Rio de Janeiro, entre outras cidades (consulte a lista completa abaixo). De acordo com as projeções, até 2050, centenas de cidades costeiras altamente populosas estarão sujeitas ao risco de inundação. Isso inclui áreas que abrigam aproximadamente 5% da população de cidades como Santos, no Brasil; Cotonou, no Benin; e Calcutá, na Índia, como revela um trecho da pesquisa divulgada antes da Conferência da ONU sobre Mudanças Climáticas (COP28).

Os dados são provenientes do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (Pnud) e do Climate Impact Lab (CIL), indicando que a situação mais preocupante é vivida pela América Latina, Caribe, Pacífico e Pequenos Estados Insulares em Desenvolvimento. Essas regiões correm o risco de perder extensas porções de terra e infraestrutura para inundações permanentes. O estudo adverte que centenas de cidades altamente populosas enfrentarão um risco mais elevado de inundação se as emissões de gases de efeito estufa continuarem no ritmo atual.

“Os efeitos da elevação do nível do mar colocarão em risco décadas de progresso do desenvolvimento humano em zonas costeiras densamente povoadas, onde vive uma em cada sete pessoas no mundo”, afirma Pedro Conceição, diretor do Escritório do Relatório de Desenvolvimento Humano do Pnud.

O estudo projeta que, no pior cenário de aquecimento até o final do século, sem defesas nas linhas costeiras, 5% ou mais das seguintes cidades ficarão em risco: Guayaquil (Equador), Barranquilla (Colômbia), Santos (Brasil), Rio de Janeiro (Brasil), Kingston (Jamaica), Cotonou (Benin), Kolkata (Índia), Perth (Austrália), Newcastle (Austrália) e Sydney (Austrália).

Ao ser procurada para comentar sobre medidas para evitar o avanço do mar sobre a cidade, a Prefeitura de Santos não retornou. A Prefeitura do Rio de Janeiro também não se pronunciou. O espaço está aberto para manifestações.