Estudantes da rede municipal de Criciúma apresentam projetos inovadores na Feira de Robótica

Foto: Divulgação/Decom

Por: OCP News Criciúma

24/11/2023 - 21:11 - Atualizada em: 24/11/2023 - 21:54

Com a missão de propagar a educação pública de qualidade com ênfase no processo de ensino e aprendizagem para a formação humana, o Governo de Criciúma, por meio da Secretaria Municipal de Educação, realizou, nesta quinta-feira (23) e sexta-feira (24), no hall do Paço Municipal Marcos Rovaris, a Feira de Robótica.

A iniciativa contou com 48 projetos, feitos por estudantes de 42 escolas da rede municipal de ensino de Criciúma. A visitação foi gratuita. “O poder público tem a obrigação de observar as ideias dos estudantes durante estes eventos, buscando, sempre, investir nos projetos que têm o potencial de mudar a vida deles e de toda a sociedade. Parabéns a todos os participantes”, afirmou o prefeito de Criciúma, Clésio Salvaro, que idealizou a criação dos Clubes de Robótica.

Concretizada em 2019, por meio de uma parceria entre a Associação Beneficente da Indústria Carbonífera de Santa Catarina (Satc), a Associação Beneficente Abadeus e o Sesi/Senai Regional Sul, atualmente, os Clubes de Robótica contemplam cerca de 700 estudantes do Ensino Fundamental de 42 escolas. “É importante promover eventos como este para dar aos estudantes a oportunidade de mostrarem seu grande potencial, possibilitando um investimento futuro em suas ideias”, contou o secretário municipal de Educação, Celito Cardoso.

Os projetos, bem como as aulas dos clubes, envolvem fundamentos como empreendedorismo, impressão 3D, inovação, resolução de problemas, criatividade, liderança, programação, entre outros conceitos. “Possibilitar a exposição de um trabalho na Feira é uma forma de incentivar o estudante a colocar em prática os conhecimentos aprendidos durante as aulas”, explica o coordenador de Tecnologia Educacional da Secretaria Municipal de Educação, Angelo Machado Bortolon.

Durante a Feira de Robótica, o público pôde observar o funcionamento de trabalhos inovadores, idealizados pelos estudantes para resolver problemas do cotidiano, como um elevador escolar adaptado para pessoas com deficiência (PCDs), e um modelo de portão automatizado, com abertura e fechamento feito por meio de cartões utilizados pela comunidade escolar.