Engasgo em crianças e bebês são comuns, mas podem ser perigosos: saiba como agir

Foto: Roberto Zacarias / Secom

Por: OCP News Criciúma

29/09/2023 - 15:09 - Atualizada em: 29/09/2023 - 15:29

Mais comum do que pensamos, os engasgos ocorrem em diversas fases da vida. Mas na infância, principalmente até os três anos de idade, eles podem ser mais frequentes e perigosos, sendo uma das principais causas de mortalidade infantil no Brasil.

Em Santa Catarina, o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) atendeu 495 ocorrências de engasgo em crianças de 0 a 13 anos, em 2022. Este ano, até o dia 24 de setembro, já foram registradas 350 ocorrências com a mesma faixa etária.

O engasgo é quando um corpo estranho entra na traqueia, seja líquido ou sólido, causando uma interrupção total ou parcial da passagem do ar respirado.

Geralmente, alguns sinais dão indicativo que a criança está engasgada. Tosse, agitação, dificuldade de respirar, a cor roxa ao redor dos lábios e no pescoço, como se estivesse sufocada, são sugestivos do bloqueio das vias aéreas.

Por vezes, a criança pode emitir sons respiratórios agudos ou nenhum som. No caso de engasgos com objetos sólidos, pode ocorrer obstrução total da passagem do ar e assim a criança ou o bebê não emitirá qualquer som vocal e vai apresentar de imediato os lábios e a pele arroxeados.

Como agir em caso de engasgo infantil

No momento em que se deparar com essa situação, tecnicamente chamada de “obstrução das vias aéreas por corpo estranho”, deve-se ligar de imediato para o SAMU – 192.

Enquanto ambulância se desloca até o local de atendimento, algumas ações não devem ser realizadas e outras podem ser feitas para salvar a vida da criança.

“É imprescindível saber como agir numa situação destas. Qualquer pessoa pode salvar a vida de um bebê ou criança engasgados, sabendo o que fazer. Quanto mais rápido for o socorro, mais chances da vida ser salva”, explica o enfermeiro Luciano da Silva Costa, especialista em urgência e emergência.

A criança deve ser mantida em posição confortável. A tosse é a melhor chance de expelir o objeto que provocou o engasgo e indica que a criança está respirando.

“Se a criança ou o bebê estiverem engasgados e conseguirem tossir, a recomendação é não chacoalhar, não bater nas costas, não virar de ponta cabeça e não tentar tirar o objeto da boca principalmente se não estiver vendo”, completa o enfermeiro Luciano.

Caso se interfira de outras formas, o objeto pode se deslocar e piorar a situação com uma obstrução completa, impedimento a respiração. O ideal é retirar com a mão somente o objeto ou secreção que seja possível visualizar.

Dicas de prevenção contra engasgo em crianças

Em bebês, o engasgo ocorre principalmente por líquidos. Já em crianças maiores, por sólidos como alimentos, como salsichas, balas, amendoins, pipocas; ou por pequenos objetos, como partes de brinquedos, botões, etc.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Pediatria, a aspiração de corpo estranho é observada principalmente nas crianças na faixa etária de 1 a 3 anos.

Por isso, esteja atento e mantenha em vista algumas recomendações:

  • Supervisionar sempre a alimentação das crianças;
  • Cortar os alimentos em pedaços bem pequenos e ensinar as crianças a mastigá-los;
  • Não alimentá-las enquanto correm, andam, brincam ou estão deitadas. Não alimentar no carro em movimento;
  • Não colocar alimentos na boca de uma criança chorando. Orientar que ela não deve falar enquanto mastiga;
  • Não comprar brinquedos com partes pequenas e manter objetos pequenos fora do alcance das crianças;
  • Evitar adereços como pulseiras, berloques e medalhas nos braços dos bebês;
  • Seguir a recomendação da embalagem dos brinquedos com relação à idade ideal para aquisição e dar preferência a itens com regulação do INMETRO.