Confirmado o primeiro caso de dengue em Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação

Por: Pedro Leal

11/01/2024 - 15:01 - Atualizada em: 11/01/2024 - 15:11

A Prefeitura de Jaraguá do Sul, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, divulgou nesta quinta-feira (11), o primeiro boletim com os dados relativos à dengue no município, confirmando o primeiro caso da doença registrado neste ano de 2024.

O diretor de Vigilância em Saúde, Dalton Fischer, explica que o paciente passa bem, após ser atendido no Hospital São José. “Trata-se de um homem, na faixa etária de 40 a 49 anos, que no final do ano viajou para outros estados e para o Paraguai”, completa o diretor.

O boletim aponta ainda que somente nos primeiros dez dias deste ano surgiram 23 casos suspeitos de dengue em Jaraguá do Sul, sendo que seis foram descartados e outros 15 continuam em investigação.

Sessenta e nove focos foram localizados pelas equipes da Vigilância em 2024, sendo seis no bairro São Luis, cinco no João Pessoa e no Centro, Barra do Rio Cerro, Jaraguá Esquerdo, Vila Nova, Amizade, Tifa Martins, Estrada Nova e Vieira, foram encontrados quatro focos em cada bairro.

176 CASOS EM 2023

A Vigilância Epidemiológica de Jaraguá do Sul divulgou recentemente o boletim com os dados de 2023, quando foram confirmados 176 casos de dengue, aumento de 147% em relação a 2022. Deste total de casos, 89 pessoas contraíram dengue aqui mesmo no município, enquanto que 87 viajaram e contraíram a doença fora daqui.

O número de focos em 2023 também foi maior que no ano anterior: 81% superior, com 2.260 focos encontrados nas armadilhas espalhadas por vários pontos de Jaraguá do Sul, em locais considerados estratégicos.

CUIDADOS

No verão, o Programa de Controle de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde, intensifica a Campanha de Combate à Dengue. O calor e os períodos chuvosos representam um cenário propício para a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, chikungunya e zika vírus.
A prevenção da dengue está ao alcance de todos e medidas simples podem evitar a proliferação do mosquito. Ao vistoriar os ambientes onde vive, a pessoa deve observar as seguintes situações:

O QUE FAZER PARA SE PREVENIR

– Guarde objetos que acumulam água em locais secos e protegidos da chuva. Faça furos nestes objetos para escoamento da água;
– Mantenha as calhas desobstruídas;
– Trate a água de piscinas com cloro e limpe-a semanalmente;
– Conserve caixas d’água vedadas e cubra o extravasor (ladrão) com tela;
– Elimine pratos embaixo de vasos de plantas e evite plantas aquáticas;
– Lave semanalmente os potes de água dos animais domésticos;
– Mantenha ralos vedados e higienize semanalmente com água sanitária;
– Descarte latas, tampas e embalagens em sacos plásticos bem fechados;
– Vede caixas e tambores de captação de água da chuva, higienizando regularmente.

Além das medidas preventivas, o uso diário e frequente de repelentes é fundamental para evitar a picada do mosquito transmissor da dengue, chikungunya, zika vírus e febre amarela urbana. Os mosquiteiros oferecem uma boa proteção, especialmente para bebês. É crucial estar atento aos sintomas iniciais da Dengue, que incluem dor muscular intensa, febre alta, dor atrás dos olhos, mal-estar, dor de cabeça e manchas vermelhas na pele. Ao identificar esses sintomas, procurar atendimento médico imediatamente é essencial.