Como é o tratamento da dengue? Médica esclarece dúvidas sobre a doença

Foto: Pixabay

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

03/04/2024 - 09:04 - Atualizada em: 03/04/2024 - 10:03

A dengue é uma doença viral transmitida pela picada do mosquito Aedes aegypti, conhecido também por transmitir outras doenças como zika e chikungunya. É importante conhecer os sinais de alerta da dengue para buscar ajuda médica o mais rápido possível.

Conversamos com a médica Thalia Baggio, do Hospital e Maternidade Rio do Testo, que ressaltou a importância da prevenção, que inclui eliminar criadouros do mosquito, como recipientes que acumulam água parada, o uso de repelentes e muita hidratação.

Quais são os principais sintomas da dengue?

Os principais sintomas da dengue incluem febre geralmente acima de 38 graus, dor de cabeça intensa, dor atrás dos olhos, dor muscular e articulações. É importante ressaltar que, em casos graves, a dengue pode evoluir para a dengue grave, caracterizada por sangramentos, choque e comprometimento de órgãos.

O que fazer se a dengue evoluir para um quadro mais grave e for preciso internação?

Quando o paciente apresenta, além dos sintomas comuns da dengue, quadro de dor abdominal intensa, vômitos persistentes, hipotensão, sangramento de mucosas (por exemplo, da região gengival), quando o paciente apresenta esses sintomas, após avaliação médica, é realizado o tratamento de acordo com a classificação do paciente, grupo A B, C ou D. Após a classificação, analisa-se a necessidade ou não de internação hospitalar ou em Unidade de Terapia Intensiva (UTI), se quadro de choque.

O que seria grupo A B, C ou D?

Grupo A: pacientes sem sinais de alarme ou comorbidades. Exames são dispensáveis, mas podem ser feitos a critério clínico. Tratamento com hidratação vigorosa, evitando salicilatos e AINES, e usando dipirona ou paracetamol para dor e mal-estar. Orientar retorno após defervescência.

Grupo B: pacientes sem sinais de alarme, mas com risco maior de gravidade devido a comorbidades ou sinais de sangramento. Hemograma obrigatório, observação até resultado e suporte para hemograma. Hidratação e tratamento medicamentoso como no grupo A.

Grupo C: pacientes com sinais de alarme. Reposição volêmica intravenosa, com aumento gradual da quantidade de líquidos. Exames mais amplos, incluindo hemograma completo, albumina sérica, transaminases, radiografia de tórax, entre outros. Necessidade de exames de confirmação para Dengue. Observação mínima de 48 horas.

Grupo D: pacientes com sinais de choque, sangramento grave ou disfunção grave de órgãos. Acompanhamento em leito de terapia intensiva. Expansão volêmica imediata, podendo utilizar expansores plasmáticos. Possibilidade de transfusão sanguínea e outros tratamentos específicos. Exames similares ao grupo C, com inclusão de ecocardiograma.

⁠Como funciona o tratamento?

O tratamento de dengue, quando não há sinais de gravidade, é basicamente sintomático, com uso de dipirona e paracetamol, associados a hidratação (cerca de 60ml por kg por dia), e evitando anti-inflamatórios, devido ao aumento do risco de sangramento.