Catarinense tem nome e a cidade natal gravados em jato da Marinha dos Estados Unidos

Foto: Redes Sociais

Por: OCP News Criciúma

28/01/2024 - 16:01 - Atualizada em: 28/01/2024 - 16:30

O jovem Márcio Gabriel dos Anjos Sansão, natural de Gaspar, no Vale do Itajaí, Santa Catarina, recebeu uma homenagem da Marinha dos Estados Unidos, onde trabalha. Ele teve o nome e a cidade-natal gravados na lataria de um jato da corporação.

Márcio tem 21 anos e trabalha como plane captain.

 

“Eu sou responsável pelo jatos quando os pilotos não estão presentes, como por abastecer e outras coisas. A parte mais importante do nosso trabalho é checar o jato antes e depois que o piloto voa. Checamos por danos e coisas que podem botar a vida do piloto em risco, ou milhões de dólares em dano”, explicou o jovem.

Há meses, ele sabia que teria o nome gravado no jato número 405. Nem por isso a homenagem foi menos emocionante.

“Foi um sentimento muito bom ter o meu nome e o nome da minha cidade natal, estado e país gravados em um jato da Marinha americana”, disse.

A colocação do nome dele no avião foi feita enquanto Gabriel estava em viagem. Os jatos voltaram na terça-feira (16) para a base onde ele trabalha, e foi quando ele viu a gravação na lataria.

“Sem palavras para descrever o quão feliz estou por finalmente ter meu nome nesse jato. Um ano de muito trabalho e dedicação”, ele escreveu, em inglês, em uma rede social sobre a homenagem.

“É bem comum que todos os jatos tenham nomes de pessoas que fazem o meu trabalho. A raridade é que eu sou brasileiro“, explicou Gabriel.

Trabalho na corporação

O jovem nasceu em Gaspar e se mudou para Sombrio, no Sul de Santa Catarina, quando tinha 5 anos. Ele foi criado nessa cidade.

“Em 2018, quando tinha 16 anos, eu me mudei para os Estados Unidos com a minha mãe. Eu morei em [estado norte-americano de] Massachusetts por quatro anos e entrei para a Marinha. Agora moro em Norfolk, Virginia, onde a base em que eu trabalho é localizada”.

Gabriel disse que entrou para a Marinha dos Estados Unidos em setembro de 2022. Depois de passar por três meses de testes, ele estudou por mais dois meses para o trabalho que tem atualmente.

Desde abril de 2023, ele atua em um porta-aviões da corporação, o USS Gerald R. Ford. Com esse trabalho, ele visitou países como Noruega, Itália, Turquia, Grécia e Croácia.

Nessa última nação, a corporação recebeu a notícia sobre a Guerra em Gaza e o porta-aviões ficou próximo a Israel. Segundo Gabriel, a única atuação da estrutura no conflito foi quando Joe Biden esteve no país.

“Somente quando o presidente dos Estados Unidos estava em Israel a gente foi responsável pela proteção dele no ar”.

 

 

Fonte: G1/SC