Blumenau registra sexta morte por dengue em 2024

Foto: Divulgação / Fiocruz

Por: Luan Tamanini

03/04/2024 - 16:04 - Atualizada em: 03/04/2024 - 16:32

Mais uma morte por dengue foi registrada em Blumenau, informou a Secretaria de Saúde nesta quarta-feira (3). Com isso, a cidade passa a somar seis mortes pela doença em 2024.

Além disso, Blumenau registrou mais 88 casos da doença. O total acumulado desde a primeira semana de 2024 é de 18.272 casos prováveis. Destes, 15.054 estão em investigação, 3.218 foram confirmados e seis óbitos foram registrados. No momento, há 15 pessoas internadas em UTI e 41 em enfermaria.

Conforme a prefeitura, os casos prováveis são todos os casos notificados, suspeitos, confirmados e inconclusivos, com exceção dos descartados. Desse modo, todos os casos suspeitos, que estão no sistema, serão considerados prováveis. Isso permite uma análise mais precisa da situação.

Já em relação aos focos, a Vigilância Epidemiológica altera semanalmente.

Sinais e sintomas
A primeira manifestação da dengue é a febre alta (39° a 40°C) de início abrupto, que tem duração de dois a sete dias, associada à dor de cabeça, fraqueza, dores no corpo, nas articulações e no fundo dos olhos. Manchas pelo corpo estão presentes em 50% dos casos, podendo atingir face, tronco, braços e pernas. Perda de apetite, náuseas e vômitos também podem estar presentes.

Centro de atendimento dengue
Para garantir atendimento a todos os pacientes e auxiliar no acolhimento das unidades de saúde e como retaguarda para os hospitais foi criado o Centro de atendimento dengue (CAD) em Blumenau. Até esse domingo, dia 31, mais de 5.060 consultas foram realizadas no local, que recebeu melhorias e passou a contar com um espaço para infusão, confortável e restrito. São 60 poltronas disponibilizadas à população que precisa permanecer mais de 5 horas no Centro para administração de medicamentos endovenosos e subcutâneos.

Tanto o CAD, quanto o espaço para infusão estão localizados no Campus 3 da Furb, na Rua São Paulo, 2.171. O expediente, da equipe multiprofissional de 20 pessoas – composta por médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem – acontece em formato de porta aberta, sete dias por semana, incluindo feriados, com horário ampliado das 7h à meia-noite.

Como evitar a proliferação do Aedes aegypti
• Elimine água parada de todos os recipientes;
• Evite usar pratos nos vasos de plantas. Se usá-los, coloque areia até a borda;
• Guarde garrafas com o gargalo virado para baixo;
• Mantenha lixeiras tampadas;
• Deixe os depósitos de água sempre vedados, sem qualquer abertura, principalmente as caixas d’água;
• Plantas como as bromélias, devem ser evitadas, pois acumulam água;
• Trate a água da piscina com cloro e limpe-a uma vez por semana;
• Mantenha ralos cobertos com telas de malha fina para evitar que o mosquito tenha acesso ao local;
• Lave recipientes com depósito de água, como potes de comida e água dos animais, com escova ou esponja e detergente, no mínimo uma vez por semana;
• Se for necessário que o recipiente fique com água, como no caso de ralos, utilize hipoclorito;
• Retire a água acumulada em lajes;
• Dê descarga, no mínimo uma vez por semana, em banheiros pouco usados;
• Mantenha fechada a tampa do vaso sanitário;
• Evite acumular entulho, pois ele pode se tornar local de foco do mosquito da Dengue.

Denúncia
A população também pode denunciar locais com possíveis focos do mosquito, entrando em contato com o Programa de Combate à Dengue, por meio do OuvidorSUS no telefone 156 (opção 4) ou pelo telefone 3381-7770. O atendimento acontece de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Assessora de comunicação: Elaine Malheiros