Ambulatório de bloqueio neuromuscular feito com toxina botulínica é implantado em Jaraguá do Sul

Foto: Divulgação PMJS

Por: Isabelle Stringari Ribeiro

14/07/2023 - 10:07 - Atualizada em: 14/07/2023 - 15:08

Foi implantado um ambulatório de reabilitação neurológica com bloqueio neuromuscular que utiliza toxina botulínica nos pacientes. O espaço que está localizado na Policlínica II, possibilita o acesso com mais agilidade de atendimento para a população. Essa ação foi feita pela Prefeitura de Jaraguá do Sul por meio da Secretaria Municipal de Saúde.

Foto: Divulgação PMJS

“O atendimento na própria cidade cumpre com o princípio do Sistema Único de Saúde de integralidade além de reduzir o custo da Prefeitura com esta modalidade de tratamento”, destaca o secretário de Saúde, Alceu Gilmar Moretti.

A doutora Kátia Lopes Marghoti, neurologista responsável pela concepção e liderança do ambulatório, esclarece que a toxina botulínica é uma forma de tratamento terapêutico amplamente utilizada em diversos distúrbios neurológicos. A administração da medicação é feita por um médico especializado, devidamente treinado para realizar a indicação e a execução adequada do tratamento.

Uma das principais indicações do uso da toxina botulínica na reabilitação neurológica é o tratamento da espasticidade que, segundo o Ministério da Saúde, compromete 67% dos portadores de lesão medular, 75% dos pacientes com paralisia cerebral, 84% das pessoas com TCE, além de pacientes com AVC e esclerose múltipla.

“Os sintomas destes distúrbios variam desde uma leve contração até uma deformidade severa, que afeta a mobilidade e a qualidade de vida dos pacientes. O bloqueio neuromuscular com toxina botulínica é considerado padrão ouro na reabilitação neurológica, em conjunto com o tratamento multidisciplinar”, destaca a médica.

A diretora de Gestão Técnica da Secretaria, Fabiana Conrado, ressalta que anteriormente os pacientes de Jaraguá do Sul que precisavam desse tratamento eram encaminhados para Florianópolis através do Tratamento Fora de Domicílio (TFD), o que gerava dificuldades no processo. “Com o ambulatório, tivemos um grande avanço nos tratamentos. Os pacientes conseguem, agora, acessar facilmente este serviço.”

Os encaminhamentos para o ambulatório são feitos por meio dos médicos das Unidades Básicas de Saúde, que solicitam avaliação do especialista (neurologia, ortopedia) e este faz a indicação do uso da toxina botulínica.

Notícias no celular

Whatsapp