Alerta de fofura: bebê viraliza com a mesma posição que fazia antes de nascer; assista ao vídeo

Maria Pina no ultrassom e passeando no mercado; nas duas imagens com as perninhas para cima | Foto: Arquivo pessoal

Por: Elisângela Pezzutti

04/10/2023 - 13:10 - Atualizada em: 04/10/2023 - 13:33

Um vídeo muito fofo está viralizando nas redes sociais. Ele começa com a imagem de um ultrassom em que uma bebê aparece com as perninhas esticadas para cima. Depois, vem as fotos de Maria Pina após o nascimento, em diferentes situações, mas sempre com as perninhas esticadas para cima. “Da barriga para a vida”, escreveu a mãe Tabata Mariana Dalla Lana (@tabatamariana), que é odontopediatra em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul. “A mania continua”, diverte-se.

Compartilhado há cerca de uma semana, o vídeo está fazendo o maior sucesso nas redes sociais. “Coloca ela na ginástica”, escreveu uma internauta. “Já nasceu bailarina”, comentou outra. “Vai ser ginasta”, brincou um terceiro. “Contorcionista”, divertiu-se mais um.

Em entrevista à Revista Crescer, a mãe disse que a posição da filha começou a chamar atenção por volta das 20 semanas de gravidez. “No ultrassom de 21 semanas, foi a primeira vez que vimos ela nessa posição. Depois, com 24, ela fez a posição e logo se mexeu”, lembra. “Após o nascimento, não percebemos quando ela era menorzinha, notamos agora, a partir dos 9 meses. Quando vamos a mercados, que tem a cadeirinha nos carrinhos, ela estica as pernas, como se apoiasse. Achamos engraçado e lembramos do episódio durante a gravidez”, relatou.

Tabata chegou a conversar com o pediatra, mas a médica disse que não há nada com que se preocupar. Sobre a repercussão do vídeo, ela comentou: “Fizemos despretensiosamente e logo muita gente começou a compartilhar, comentar e curtir. Esse é o terceiro vídeo que viraliza da Maria Pina. No início, nos assustamos, era novidade. Mas ficamos felizes com o carinho que recebemos de todos com a nossa pequena”, disse.

O pediatra e neonatologista Nelson Douglas Ejzenbaum, médico da Academia Americana de Pediatria, explica que, apesar da posição parecer desconfortável, “é importante esclarecer que os bebês têm hipermobilidade de membros, isto é, uma distância entre os ossos das articulações e dos membros, que permite muito mais mobilidade, desde a barriga da mãe”.

Assista ao vídeo:

 

 

*Com informações da Revista Crescer

 

Notícias no celular

Whatsapp