Não se fala em mais nada na internet a não ser da morte da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco (PSOL), morta com quatro tiros na cabeça, junto de seu motorista, durante um deslocamento de carro no RJ. E isso me fez refletir e elencar alguns tópicos:

*É inaceitável o que ocorre no Rio de Janeiro, ninguém (fora os bandidos que vem para matar) merece morrer. Por mais que a vereadora tivesse ideias e posições absurdamente tolas no meu ver, no que diz respeito à segurança pública, não merecia morrer e sim ser convencida que estava errada.

*As militâncias que as acompanham tentam transformar a mesma em mártir, mas esquecem de mencionar em suas frases de tristeza que o motorista também morreu. Ele é menos importante? Esquecem também de mencionar os 36 vereadores que também foram assassinados em todo o país nos últimos dois anos. Eles não merecem compaixão e respeito? E os 136 policiais do Rio que no ano passado foram mortos, e mais 27 esse ano, teve protesto? Não são vítimas?

*Repito, a vítima não merecia o que fizeram, fico consternado com o ocorrido, mas, um pouco da insegurança teve contribuição da mesma ao batalhar por não autorizar a guarda municipal da cidade a ter porte de arma e ao pedir constantemente o fim da PM e até mesmo minuto de silêncio no plenário da Câmara em respeito a traficantes e bandidos mortos em confrontos com a PM em favelas.

Acho doentio pessoas darem risada da morte da mesma na internet, festejando o que ocorreu ou incentivando casos do tipo. No mínimo insano! Mas também não posso deixar de lembrar que a vítima era ferrenha defensora de marginais, os mesmos que agora a mataram. Ah, mas William, as munições que atingiram a mesma são oriundas de um lote vendido para a PF, tudo leva a crer que foram policiais que a mataram. Bom, mesmo que seja, agora, deixam de ser policiais para serem bandidos, cometeram um crime, logo, entrariam no nicho por ela defendido. Confuso não?!

Para fechar, algumas pessoas se usam da morte para discurso político - Dilma Rousseff, no tal Fórum Social Mundial, disse que a morte de Marielle Franco faz parte do “golpe” que começou com o impeachment (não dava para esperar muito dela), ou para pedir o fim da intervenção federal. Oras, a cidade cada vez mais precisa a intervenção. O assassinato da Marielle é a demonstração mais dramática da necessidade dessa ação. Todos sabemos que a PM do Rio é uma das que mais mata, mas também é a que mais morre! Existe corrupção? Sim, e precisa ser extirpada, policial corrupto é bandido e merece as mais duras penas da lei, esperamos que esses sejam excluídos que os inocentes não precisem morrer, seja pela mão de criminosos comuns ou milicianos.

Por fim li, e recplico:

O assassinato de Marielle Franco foi político, assim como todos os 61.000 homicídios que ocorrem por ano no Brasil são políticos. Eles são fruto da política da impunidade levada a cabo, ano após ano, por governos de esquerda e direita, nos diferentes níveis de administração pública. Polícia corrupta ou que não investiga, governantes corruptos, populistas ou incompetentes que facilitam a vida dos bandidos, Justiça que não prende, prende mal ou manda soltar, a apologia da vendeta pura e simples — tudo isso compõe a política da impunidade que matou Marielle e todos os brasileiros vítimas de homicídio.