William Fritzke | Já era Todynho

William Fritzke | Já era Todynho William Fritzke | Já era Todynho

Colunistas

Por: William Fritzke

segunda-feira, 09:15 - 05/02/2018

William Fritzke
Ninguém mais aguenta ouvir a música “que tiro foi esse. Pois bem, a Prefeitura de Joaquim Gomes, na região Norte de Alagoas, proibiu que o hit da funkeira Jojo Todynho seja tocado durante as festas de Carnaval na cidade. A medida foi tomada por questões de segurança, após solicitação da Polícia Militar durante uma reunião realizada nesta semana entre representantes da Prefeitura, dos blocos de rua e de integrantes da 2º Companhia da PM. “A música traz esse som de disparo de arma de fogo. O uso de armas de fogo é proibido pelo Estatuto do Desarmamento. Não se pode incentivar o uso de armas, explicou o Capitão Queiroz, da 2ª CPM. O termo de Ajustamento de Conduta firmado estabelece uma multa no valor de R$ 2 mil, por evento, caso alguém descumpra o que foi acordado no documento. A fiscalização ficará por conta do Ministério Público e também, segundo Barbosa, das policias Civil e Militar e dos demais órgãos que assinaram o termo. Por mim, podiam proibir outros tantos funks e nojeiras que os manos ouvem do alto de suas latas velhas com som de estremecer janela, achando que estão arrasando. O perigo mora ao lado Posso estar chovendo no molhado, mas hoje o alerta vai para os pais que tanto amam seus filhos e querem ver os mesmos na melhor condição possível. Se pararmos para analisar juntos, os últimos escândalos envolvendo abusos infantis, em sua grande maioria, foram cometidos por pessoas de extrema confiança ou do convívio das crianças. Basta relembrar o padre de São Francisco do Sul, o palhaço que atacou em Blumenau, o padrasto que abusava da enteada em Jaraguá do Sul e agora, mais recentemente, o médico da seleção de ginástica dos EUA que abusou de centenas de garotas. Perceba que todos tinham um vínculo de confiança com as vítimas e seus parentes e, por isso, por anos ou meses, passaram despercebidos do radar da desconfiança. É inadmissível que casos assim continuem ocorrendo, e mais, que no Brasil sejam levados sem seriedade. Enquanto aqui o vagabundo é detido e amarga pouco tempo de cadeia em cela especial, nos EUA o buraco é mais embaixo. O médico abusador já pegou mais de cem anos de prisão. Em um dos julgamentos ocorridos nessa semana, o pai de uma das vítimas chegou a partir para cima do acusado. Enfim, em resumo, muitas vezes o perigo está mais próximo do que imaginamos. Abram os olhos sempre e em qualquer sinal de desconfiança, uma conversa com os pequenos pode ser a chave para evitar maiores problemas. Fiquei pensando Alguma vez você, assim como eu, ao chegar em um motel já pensou: será que não estão me filmando? É algo que imaginamos, apesar de ser bizarro pensar que pode ocorrer. Pois bem, na última semana, a Policia Civil de São Vicente, no litoral de São Paulo, identificou o proprietário de um apartamento onde foi encontrada uma câmera, instalada atrás de um espelho e virada para a cama de um dos quartos, que filmava turistas que alugavam o imóvel em momentos de intimidade e, em alguns casos, até mantendo relações sexuais. O suspeito vive em Zurique, considerada a maior cidade da Suíça, e logo que a câmera foi desligada, o suspeito telefonou para perguntando a razão da câmera ter sido removida, relatando ser um objeto utilizado para segurança. Oras, depravado, onde já se viu ficar se divertindo com o BBB do sexo alheio? Possivelmente por estar em outro país, passará impune, mas, que fica o alerta fica, vou começar a redobrar a atenção nos espelhos por aí.
×