William Fritzke | Intervenção Federal no Rio: Agora vai?

William Fritzke | Intervenção Federal no Rio: Agora vai? William Fritzke | Intervenção Federal no Rio: Agora vai?

Colunistas

Por: William Fritzke

domingo, 03:30 - 18/02/2018

William Fritzke
Demorou para alguém tomar uma atitude com relação a insegurança que assola o estado do Rio de Janeiro. Nessa semana, após uma reunião em Brasília, o presidente Michel Temer, a cúpula de segurança e o governo do Rio de Janeiro decidiram decretar intervenção federal. O que isso significa? Em resumo, até o final do ano, as forças armadas passam a comandar a Polícia Militar e Civil e realizar diversas operações para tentar reaver a paz. O general Walter Souza Braga Neto, do Comando Militar do Leste, foi escolhido como interventor militar e assume as funções de chefia na área de segurança. O atual secretário de segurança foi afastado – e, na minha opinião, já vai tarde. Braga foi um dos responsáveis pela coordenação da segurança durante as Olimpíadas do Rio, em 2016. Ele já ocupou o serviço de inteligência do Exército, tem um perfil combatente e tem sido parceiro das forças auxiliares de segurança pública. O general é tido pela Polícia Civil do Rio de Janeiro como um colaborador dedicado e também costuma receber representantes das forças de segurança no gabinete sem marcar na agenda. Sempre fui da opinião de que as forças armadas são treinadas para atuar, e não para somente esperar uma enchente ou uma guerra. Se a polícia sozinha não dá conta, exército neles! As tentativas de frear a violência não deram certo até agora. Os roubos de cargas, por exemplo, bateram recorde no ano passado: foram quase 11 mil casos. Que lindo que foi ver anos atrás aquelas ocupações das favelas, com bandidos correndo em meio a mata acuados e com o rabinho no meio das pernas. Isso tem que se repetir! Blindados do Exército e da Marinha participaram da ocupação no Complexo do Alemão, em 2007. Em 2010, a retomada do Complexo do Alemão contou com uma tropa de 800 homens do Exército. Os militares também ficaram durante 14 meses ocupando o Complexo da Maré. Tem muita gente boa que vive em favela, esses têm que ser protegidos, e os traficantes, bom... Chega de violência, foram três PM’s do Rio mortos somente no Carnaval. Isso é inadmissível! Vale ressaltar que nunca antes o estado havia sofrido uma intervenção federal na segurança pública, mas, se der certo, poderá virar rotina e ajudar e muito os governadores. Vale ressaltar que tudo ainda depende de votação do Congresso e Senado. Esperamos que os parlamentares tenham um pouco de bom senso e votem a favor do povo. Claro que alguns serão contra, principalmente a turminha de “direitos dos manos” e aqueles engravatados que têm suas campanhas bancadas pelo dinheiro do crime em troca de favores. É esperar atentamente para ver no que vai dar.
×