Há alguns dias caiu no meu e-mail um artigo, por sinal muito bem elaborado, da minha amiga nutricionista Julia Franzener, que será publicado em uma revista de nutrição de renome nacional. E por que falo dele? Porque o assunto me deixou pensativo. O título é “Perfil nutricional e frequência do consumo de bebidas alcoólicas entre jogadores adolescentes de voleibol da cidade de Joinville”. A pesquisa foi feita com jovens no alto de seus 15/16 anos e mostrou o que a grande maioria já sabia: o jovem está cada vez mais consumindo álcool. Participaram do estudo 20 atletas adolescentes. Com relação ao consumo de álcool constatou-se que 65% dos entrevistados relataram consumir bebidas, sendo que destes 43% consomem em eventos sociais, 28% com amigos e 19% em família. Oras, que belo exemplo, com 15/16 anos e consumindo álcool em família. Rodo muito pelas baladas e festas a serviço e vejo centenas de jovens caindo de bêbados pelos cantos, vomitando e achando isso absolutamente normal e até bonito. Onde estão os pais numa hora dessas? São futuros motoristas bêbados matando ou morrendo, são futuros dependentes, o álcool também é uma droga, só que lícita, e que também causa dependência. Onde quero chegar? O exemplo tem que vir de casa! Não adianta passar a noite rezando para o filho e para a filha não sair de casa e voltar “manguaçado”, se no churrasco de domingo você incentiva a beber porque “ele está em casa, aí pode”. A vida é muito curta para ser vivida com muita moderação? É! Mas também é muito frágil para viver sem regras. Agradeço à nobre nutricionista por ter me enviado o material. Abriu uma boa linha de pensamento para a elaboração da coluna de hoje. Valeu! FOI! Frente à impunidade da Lei quando se trata de pessoas influentes, muitas pessoas estavam com dúvidas sobre o destino do ex-deputado federal João Pizzollati que, embriagado, provocou um grave acidente há algum tempo atrás. Pois bem, a 1ª Vara Criminal de Blumenau acatou, na quinta-feira (22), a denúncia do Ministério Público de Santa Catarina contra o auditor fiscal de Santa Catarina e ex-deputado, por ter provocado um acidente de trânsito em 20 de dezembro de 2017. Um jovem de 23 anos ficou gravemente ferido na ocorrência e, em um vídeo, Pizzolatti admite que estava embriagado. Isso mostra um tratamento igual perante a lei. Pai de filho feio Já diria o ditado: “Filho feio não tem pai”! Constatei isso na operação da Ajapra realizada durante essa semana. Diversos cães em situação deplorável foram recolhidos de um canil clandestino. Ocorre que a grande maioria era de raça e de valores altos no mercado. Choveu de gente querendo adotar. Agora os vira-latas mais feinhos ninguém quer. Claro que todo mundo quer ter um cão bonito e da raça que mais gosta, mas, seguindo o ditado de que “cavalo dado não se olha os dentes” penso que se é para adotar, o que vier é lucro, ou, se quiser escolher, no mínimo que banque as despesas que esses cães geraram nas clínicas. É muito fácil deixar tudo às custas da Ajapra e nas redes sociais ostentar seu filhotinho de três mil reais que você levou de graça.