Tucanos em extinção – Claudio Prisco Paraíso

Por: Claudio Prisco Paraíso

05/03/2024 - 06:03

 

O PSDB de Santa Catarina realizou, na última quinta-feira, um evento reunindo 500 integrantes. Uma rodada representativa, abrilhantada por duas figuras nacionais: Marconi Perillo e Aécio Neves, dois ex-governadores. O mineiro, aliás, já foi candidato à Presidência da República. Em 2014, chegou ao segundo turno. Por pouco mais de 3 milhões de votos, ele não bateu Dilma Rousseff, cujo segundo mandato foi breve devido à cassação, dando lugar a Michel Temer. Aécio, aliás, também já presidiu o PSDB nacional. Perillo governou Goiás em quatro oportunidades. Em 2022, contudo, tentou o Senado e perdeu. Hoje ele pilota a legenda. Aécio também já foi senador, presidente da Câmara e duas vezes governador de Minas; hoje é um mero deputado, do baixo clero.

 

Vácuo

Quem mais tem o PSDB nos dias de hoje? José Serra está fora da vida pública. Ele, que foi prefeito, governador de São Paulo, senador e candidato a presidente.

 

Socialista

Geraldo Alckmin trocou de camisa, saindo do ninho e alistando-se no PSB. Fernando Henrique Cardoso não se manifesta mais. Nem escreve artigos. Parece estar numa fase avançada da sua vida.

 

Engomadinhos

O PSDB não tem mais ninguém com forte liderança popular ou conteúdo diferenciado. Aos poucos, a sigla vai desaparecendo, tanto no nível nacional como no estadual.

 

Trajetória

O partido comandou o país por oito anos com FHC. Depois, disputou outras cinco eleições, perdendo todas. Duas com Serra, duas com Alckmin e uma com Aécio.

 

Esquerdinha light

Com o advento de Jair Bolsonaro, o PSDB desidratou, desapareceu. Em Santa Catarina, o partido já teve senador com Leonel Pavan, que foi vice-governador e governador em mandato-tampão por pouco mais de nove meses.

 

Herança

Dalírio Beber também foi senador. Chegou à Câmara Alta após a morte de Luiz Henrique da Silveira, cumprindo quatro anos em Brasília.

 

Revoada

O PSDB também já teve várias prefeituras importantes. Até recentemente, aliás, quando observamos Clésio Salvaro, de Criciúma, que deixou o ninho e filiou-se ao PSD. Assim como o sulista, várias outras lideranças saíram do ninho. Como o prefeito reeleito de Concórdia, Rogério Pacheco, que deve assinar ficha no PSD até o final do mês.

 

Suplência

Geovania de Sá está no exercício do mandato de deputada federal graças à investidura de Carmen Zanotto na Secretaria de Saúde. Mas voltará logo à condição de suplente. Carmen terá que deixar a Saúde para disputar a prefeitura de Lages.

 

Batendo asas

Os tucanos têm apenas dois deputados estaduais. Vicente Caropreso, contudo, vai bater em retirada na janela de março de 2026. Vários partidos querem o jaraguaense. Sobrará Marcos Vieira, o presidente do diretório estadual, que também já deixou claro que não buscará um sexto mandato para a Assembleia Legislativa. Ou seja, o partido definha à luz do dia.