Três doenças do verão

foto: divulgação

Por: Dr. Vicente Caropreso

25/01/2024 - 10:01 - Atualizada em: 25/01/2024 - 16:37

Algumas doenças são muito comuns no verão, como o Melasma, a Dengue e a Intoxicação Alimentar.

Melasma é uma doença de pele; ela se apresenta sob a forma de manchas escuras que surgem no rosto, nos braços e nas áreas do corpo muito expostas ao sol, principalmente em mulheres jovens. Não é uma doença grave, só compromete a estética.

O seu aparecimento se deve a uma hiperpigmentação, originada por deposição aumentada de melanina em alguns pontos da pele — a melanina é a proteína responsável pela coloração da pele e pela proteção contra os raios ultravioleta.

As causas do melasma são a exposição excessiva aos raios ultravioleta, disfunção da tireoide, uso de anticoncepcionais e ser mulher com idade entre 20 e 25 anos.

Para prevenir, evite a exposição ao sol sem proteção. Use filtro solar, óculos de sol, chapéus e prefira o sol da manhã.

Dengue todos já conhecem e sabem o que é, no verão que acontece a maior reprodução dos mosquitos e a maior incidência da doença.

Seus sintomas são: febre; manchas avermelhadas; dor de cabeça, principalmente atrás dos olhos; e dores pelo corpo.

A prevenção consiste em evitar o acúmulo de água em recipientes, que são focos de reprodução, e usar repelentes de insetos — verificar no rótulo se afastam o Aedes Aegypti.

Caso os sintomas se manifestem, procure imediatamente ajuda médica, a dengue pode ter consequências sérias para a saúde.

Intoxicação Alimentar por comida ou água contaminada por bactérias, vírus e parasitas, encontrados principalmente em carnes cruas e ovos, mas que podem se alojar em outros alimentos também é outra doença comum no verão.

A chance de consumir comida estragada em decorrência do calor é maior no verão, por isso, é preciso ter muito cuidado ao armazenar os alimentos.

Náusea, vômito, diarreia aquosa e febre são os sintomas mais comuns da intoxicação alimentar.

Para evitá-la, higienize bem as mãos e os alimentos antes de comer. Evite carnes mal cozidas, laticínios não pasteurizados e comida de origem duvidosa.