Os trabalhadores do Grupo Weg (Motores, Automação, Transmissão e Distribuição, Exportação e Corporativo) aprovaram proposta da empresa de reduzir a jornada de trabalho em 9,33% e os salários em 7%, na média, pelo prazo de 90 dias. A medida foi aprovada por 79,8% dos trabalhadores da empresa. Os funcionários deverão folgar sempre às sextas-feiras, nas seguintes datas: 10 e 17 de junho; 1º, 8 e 22 de julho; e nos dias 12 e 19 de agosto. Na semana passada, uma proposta parecida, porém, com redução de 17% na jornada de trabalho e de 13% nos salários, foi aprovada por mais de 80% dos quase 1,6 mil trabalhadores da Weg Energia. O acordo não garante a estabilidade, mas exige que a empresa mantenha o nível de emprego (média de admissões e dispensas) do ano de 2015. Caso a dificuldade econômica perdure, a empresa poderá prorrogar o período de redução da jornada e salário por mais 90 dias, desde que mantidos os mesmos critérios. Se houver qualquer alteração na proposta original devem acontecer nova assembleia e votação. Secretário da Fazenda fala sobre cenário econômico em Jaraguá O secretário de Estado da Fazenda Antônio Marcos Gavazzoni estará na próxima plenária da ACIJS e APEVI na segunda-feira, dia 6 de junho. O secretário vai abordar o tema "Santa Catarina e a crise econômica no novo cenário tributário", abordando as dificuldades financeiras na administração estadual. Aberta a comunidade em geral, a palestra é gratuita e acontece às 18h, no Centro Empresarial de Jaraguá do Sul. Informações pelo telefone (47) 3275-7000. 27,5% Os pedidos de falência registraram alta de 27,5% no acumulado de 2016, em relação ao mesmo período de 2015, de acordo com dados nacionais da Boa Vista SCPC (Serviço Central de Proteção ao Crédito). Em maio, o número de pedidos de falências aumentou 34,0% em relação ao mesmo mês do ano anterior e 9,0% na comparação com o mês anterior (abril/16). Sem perspectiva de melhora no cenário macroeconômico capaz de reverter essa situação ainda em 2016, os indicadores devem intensificar a tendência observada ao longo de 2015. 76,9% O nível de atividade da indústria brasileira voltou a cair em abril, com utilização de 76,9% da capacidade instalada, menor nível da série histórica iniciada em 2002, segundo levantamento da Confederação Nacional da Indústria. O resultado representa queda em relação ao nível de utilização da capacidade instalada registrado em março (77,2%) e também em relação a abril do ano passado, quando o índice se encontrava em 79,8%. “Se chegamos ao fundo do poço, esse poço é bem fundo”, disse o gerente-executivo de Política Econômica da CNI, Flávio Castelo Branco, após a divulgação dos números nesta quinta-feira. Empresas e a internet As possibilidades de uso da internet como canal de relacionamento e geração de negócios para as empresas estarão no centro da programação do “Oportunidades online para a Indústria de SC”. O evento é gratuito e será realizado no próximo dia 8, na Associação Empresarial de Joinville, com palestras de representantes do CIESC, entidade da FIESC, Google Brasil e ABCOMM/SC – Associação Brasileira de Comércio Eletrônico. De acordo com Alexandre Damasio, coordenador do CIESC, um dos objetivos é facilitar o processo de inserção das indústrias catarinenses no promissor e potencial mercado de comércio eletrônico entre empresas (B2B, na sigla em inglês). As inscrições são limitadas e podem ser feitas pelo endereço https://goo.gl/RVCyno. Curso para evitar ações trabalhistas é realizado em Jaraguá De 13 a 15 de junho ocorre no Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (Cejas) o curso “Admissão e Demissão de Empregados – Evitando Ações Trabalhistas”. Realizado pela Apevi, nos três dias, das 19 às 22 horas, o objetivo é desmistificar a lei trabalhista, desde a contratação até a demissão, e estudar todas as obrigações fiscais e tributárias. Especialista em Direito Trabalhista, a capacitação será ministrada pelo contabilista Rober José Alves Costa. O investimento é de R$ 275 para nucleados Acijs-Apevi e R$ 303 para associados. Mais informações pelo www.apevi.com.br

* * *

Fabiana KochO Poder diz quem você é! Quando questionamos:" O que você pensa sobre dinheiro?" As respostas são diversas, e muitos relatam que dinheiro não é prioridade. Realmente falta refletir sobre isso. E quando se pergunta: "Você gostaria de ter mais poder?" Facilmente respostas afirmativas são declaradas, mas também existem reflexões do tipo: "Poder pra quê?" É fato de que muitas paradigmas merecem ser quebrados com relação a poder e dinheiro. Acaba se pensando pouco sobre o assunto. A ideia de poder está associada à habilidade que alguém tem de influenciar na opinião de outras pessoas. Ou até a capacidade de determinar a forma como algo deve ser feito. O problema é quando esse enpoderamento destrói valores, respeito e ética. Chego a conclusão de que quando alguém usa do seu poder, seja este um título, cargo ou posição, para alcançar algo a todo custo, na verdade prova de que não possui poder pessoal. O poder pessoal está relacionado a capacidade de usar habilidades interpessoais e cultivar uma trajetória no qual a pessoa é vista como inspiração e exemplo a seguir. Estamos carentes por lideranças poderosas que nos inspirem a sermos poderosos também. Quantas pessoas que você conhece que são muito ricas e muito felizes? Conseguir uma longa lista pode ser desafiador. Todos nós já ouvimos aquela frase: " Dê dinheiro e poder ao homem e você o conhecerá de verdade!" Mais dinheiro e mais poder potencializam as reais convicções do ser humano. A personalidade e o caráter são elevados. E aí, você conseguiu lembrar de alguém? Tenho certeza que sim. Ter algum contra-exemplo pode servir de incentivo e alerta para aquilo que você não quer ser nem ter. Desejo que você faça muito dinheiro, que você mostre muito o seu poder pessoal e que assim o seu verdadeira eu seja conhecido! Fique bem!