“Today” falamos dos efeitos do estrangeirismo

Colunistas

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sexta-feira, 04:00 - 03/06/2016

OCP News Jaraguá do Sul
Uma loja fazendo uma “sale”, oferecendo um “off”. Na apresentação de um artista os ingressos estão “sold out”. Para num “drive tru”. A balada será na “tuesday”. Você vai na “party” pergunta a amiga para outra. Hoje estou “happy” posta a moça na rede social. Vamos dirigir o “Best Drive” para conhecer melhor o automóvel. “The best burger of the world” diz o cartaz. Estamos mergulhados no estrangeirismo e tem-se a impressão que estamos num túnel sem retorno. O estrangeirismo é um produto do movimento social, de unidade de países. Estamos num momento de globalização e como a língua é a expressão do homem, a língua reflete os efeitos dessa globalização. Não conseguimos mais olhar para o lado e deixar de ver palavras estrangeiras. O escritor Ariano Suassuna disse que “a globalização define as coisas pelo gosto médio e o gosto médio é uma peste”. Esse pensamento sustenta que o estrangeirismo nas frases provoca não termos domínio nem em inglês nem em português. Na sala de aula a língua portuguesa perdeu espaço. Disciplinas ligadas à tecnologia e à área mercadológica são essa mistura de palavras. Acredito que a falta da língua portuguesa a um aluno vai gerar dificuldades em geografia, em história, matemática... a leitura, a interpretação de texto é uma condição para a aprendizagem em geral. O estrangeirismo dificulta em principal o censo crítico, a assimilação das expressões. A língua e a linguagem são uma criação de todos. Claro que todo falante tem o direito de se pronunciar sobre ela – essa é a visão cultural da linguagem. Até mesmo a língua portuguesa sofre com os dias de hoje. As pessoas já trocaram o dizer pelo falar. Hoje ninguém mais vende, só comercializa. Em breve os que comercializam serão os comercializantes. As galinhas não põe mais. Estão colocando ovos. Em breve estaremos vendendo galinhas colocadeiras. Fim de semana virou final de semana, mesmo que segunda feira não é inicial de semana. Nossa, como estamos aderindo fácil ás mudanças... Não existe cultura nacional fora do idioma nacional. A cultura nacional se expressa pela língua nacional. Uma nação não pode ser portadora de cultura a partir do estágio de formação, de consolidação do seu idioma. É assim com o francês, com o espanhol, com o japonês. E quando perdemos isso perdemos uma base fundamental de nossa cultura. Afinal, o que será de um povo sem cultura?  
×