Tenho um nódulo Pulmonar, pode ser um Câncer?

Foto: Pixabay

Por: Giovani W. Mezzalira

15/02/2023 - 05:02

 

O nódulo pulmonar é definido como uma opacidade pulmonar de diâmetro menor que 3 cm. Quando maior que 3 cm, é chamado de massa.

Nódulo

Tumor

Frequentemente é um achado radiológico quando o paciente faz um exame de Raio-X ou Tomografia computadorizada de tórax. Nódulos pulmonares geralmente não causam sintomas, como dor, tosse ou falta de ar.

Ele pode ter dezenas de causas, sendo as mais comuns infecções pulmonares ou cicatrizes. Cerca de 50-60% dos nódulos solitários são granulomas. A doença granulomatosa em nosso meio que mais causa esse tipo de lesão é a tuberculose, seguida de doenças causadas por fungos. Essas lesões granulomatosas são consideradas benignas.

Ao mesmo tempo esses nódulos podem representar uma lesão maligna, câncer de pulmão, em sua fase inicial. Ao se deparar com um nódulo pulmonar, é importante avaliar a história do paciente e se há fatores de risco para suspeitar de doenças malignas.

O achado de um nódulo pulmonar em pacientes fumantes, com câncer na família ou naqueles que têm ou tiveram neoplasia em outras partes do corpo constitui achado de maior significância e necessita de acompanhamento especializado.

O importante é não perder tempo e buscar o especialista para acompanhar esta lesão, nesta linha de definição do que fazer, o Cirurgião Torácico é o mais indicado profissional. Pois desempenha todas as etapas do diagnóstico como do tratamento quando ele é cirúrgico.

investigação é realizada com exames específicos, como tomografia de tórax, PET SCAN e biópsias feitas por endoscopia respiratória, punção guiada por tomografia, algumas vezes a biópsia já é curativa usando a cirurgia por vídeo ou pela técnica robótica.

O câncer de pulmão é considerado como uma doença silenciosa, por não apresentar sintomas em suas fases iniciais. Consequentemente, o diagnóstico na maior parte das vezes é feito nos casos de doença avançada, o que dificulta o tratamento.

Os sintomas mais comuns da doença são a tosse e o sangramento pelas vias respiratórias(hemoptise). Pneumonia de repetição também pode ser uma manifestação inicial dessa doença. Em indivíduos fumantes, geralmente há modificação no padrão da tosse, como por exemplo, mudança na intensidade ou na frequência desse sintoma.

Hoje em dia, técnicas de rastreamento de câncer de pulmão têm sido utilizadas para detectar precocemente esses tumores e possibilitar um tratamento que busque a cura e/ou controle da doença.

Este rastreamento é realizado com exames tomográficos principalmente em pacientes com as seguintes características:
• Idade entre 40 e 80 anos
• História de tabagismo com carga tabágica de 20 maços ou mais por ano
• Que atualmente fumam ou pararam de fumar nos últimos 15 anos.

Hoje com a possibilidade de realizar o tratamento do nódulo maligno com a Cirurgia Robótica, é possível a retirada de frações menores do pulmão com resultados semelhantes as cirurgias maiores. É possível operar em idades mais avançadas, ou pacientes com problemas de saúde que aumentariam o risco pós-operatório.

A segurança que as pinças e a visão robótica oferecem para o cirurgião é uma evolução que a mão humana jamais se igualará.

 

Cirurgia realizada pelo Dr. Giovani Mezzalira no Hospital Albert Einstein (SP), em paciente de Jaraguá do Sul. Ele é titular do corpo clínico do Einstein desde 2022.

Por Dr. Giovani Mezzalira (CRM-SC 8611), formado em medicina pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, onde também se especializou em cirurgia geral. É cirurgião torácico, especializado pelo Hospital Evangélico de Curitiba, mestre em cirurgia torácica pela PUC/PR, possui certificação em cirurgia robótica pelo Instituto Falk (PR) e pós-graduação em cirurgia robótica pelo Hospital Israelita Albert Einstein (SP).

Onde atende:

Clínica Toracopulmonar (Dr. Giovani Mezzalira – CRM-SC 8611)

Endereço: Rua João Planincheck, 1990, sala 513, Jaraguá Esquerdo, Jaraguá do Sul – Edíficio Blue Chip Centro Executivo

Instagram: @clin.toraco