Hoje vou falar sobre trânsito: não tem nada mais irritante do que trânsito! Trânsito no sentido de fila, de demora, de lentidão, ou seja, no pior sentido. Quem nunca ficou irritado em sair do trabalho às cinco e pouquinho e levar o dobro do tempo normal para fazer o mesmo trajeto de sempre na temida “saída da WEG ou da Malwee”? Filas e mais filas e, muitas vezes, elefantes brancos que amenizam, mas não resolvem nosso problema. Exemplo disso é o viaduto do Vieira. Amenizou o fluxo? Um pouco... Mas do que adianta amenizar se o gargalo está na ponte do portal, onde não passam dois carros em um sentido por vez? Agora assinaram a linda obra do elevado de Guaramirim, no acesso a SC-108. Gráficos, fotos em 3D, máquinas na pista, e o que vai resolver? Uns 30% do trânsito? Ok, será 30% de menos filas, melhor que nada, mas não podemos nos contentar com tão pouco. Merecemos mais, somos fortes, temos força política, empresarial, temos faturamento, merecemos atenção. Aí você me diz: William, não temos dinheiro, não há possibilidade de viabilizar tais obras! Então vamos do jeito fácil, economizando e aprimorando o que já existe. Existem pontos específicos na cidade, onde o sinaleiro atrapalha mais do que ajuda! Vou dar algumas ideias que podem, quem sabe, ser adotadas pela Diretoria de Trânsito de Jaraguá do Sul: 1) Sinaleiros no piscante após à 0 hora: Hoje alguns sinaleiros já têm essa tecnologia. Outros, não. Exemplo é o inaceitável sinaleiro do Vieira, em frente ao mercado Rancho Bom, me fazer parar às 2 horas da madrugada. Não tem uma alma penada na faixa de pedestre, não tem movimento de outros lugares, mas, tenho que parar. Se fosse no Velho Oeste teriam rolos de feno voando como sinal de sossego. 2) Assim como o do Vieira, o sinaleiro do DG da WEG pode ter seu horário revisado, como o de acesso a Schroeder, que por sinal, poderia ter a direita livre. Não faz sentido ter que ficar na fila torcendo para um carro entrar de São João a Schroeder para justificar a parada. Essas são apenas algumas das sugestões, se tivesse espaço dava mais de uma página. Impasse atrapalhando a mobilidade E falando em trânsito, essa cutucada vai na Justiça e na All/Rumo: não consigo entender como uma empresa que deveria cuidar de trens tem a capacidade de atrasar a inauguração de uma via, conforme estamos vendo no bairro Centenário, próximo ao viaduto, na rua Benildo Zanin. Tudo pronto e a rua tem que ficar interditada com madeiras e concreto, pois não houve um entendimento rápido por causa de uma bendita passagem de trem. Tenho certeza que conhecendo o prefeito Antídio Lunelli (de Jaraguá do Sul), isso deve incomodá-lo e muito! Ele, como prefeito, não pode abrir a rua, pois sofreria processo. Agora, se sou morador daquela região e estou nessa lenga-lenga por besteira, já tinha enfiado uma máquina e inaugurado aquilo por conta própria. Pelo que se sabe a novela está para entrar nos seus capítulos finais, mas, como eu disse, pode ser novela do SBT (onde tudo acaba repentinamente) ou da Globo, onde do nada alguém morre e muda tudo, inclusive o final. Sento e espero.