Os três principais candidatos ao governo do Estado Mauro Marini (MDB), Gelson Merisio (PSD) e Decio Lima (PT), têm feito até aqui uma campanha “solta” sem colar em nenhum concorrente à presidência. E a explicação óbvia está nas pesquisas.

Se Santa Catarina fosse um país e se as eleições fossem hoje, Jair Bolsonaro (PSL) seria o presidente eleito no primeiro turno. Pesquisa do Instituto Time Big Data revelou que o candidato à presidência teria 41% dos votos dos catarinenses.

O adversário que chega mais próximo é Fernando Haddad, do PT, porém, com longínquos 14%, aquele voto chamado caixão fiel ao 13 independente do candidato.

Geraldo Alckmin (PSDB), Ciro Gomes (PDT) e Marina Silva (Rede) estão empatados em terceiro lugar com 5% cada. João Amoêdo (Novo) ficou com 4%, Álvaro Dias (Podemos), com 3%, e Henrique Meirelles (MDB), com 2%.

Brancos e nulos somaram 12%, enquanto a taxa de indecisos ficou em 8%. O levantamento foi encomendado pela RIC em parceria com as associações de diários de interior.

O que fica evidente, além da liderança de Bolsonaro, é que o sentimento antipetista continua prevalecendo por aqui. E o candidato do PSL encarna atualmente melhor do que ninguém essa figura.

No último pleito nacional, Aécio Neves (PSDB) alcançou 64,5% dos votos válidos em Santa Catarina no segundo turno, seu maior percentual entre os Estados brasileiros, repetindo o que já tinha acontecido em 2010, quando José Serra era o candidato do PSDB.

Se a rejeição ao petismo continua firme e forte, o antídoto é que parece ter mudado. Nem mesmo o tucano mais pessimista previa um desempenho tão ruim assim de Geraldo Alckmin.

Tarifa rosa

A tarifa do Samae vai dar espaço ao rosa a partir do dia 1º de outubro. Esta é a primeira vez que a autarquia promove a ação.

De acordo com o presidente do Samae, Ademir Izidoro, a iniciativa é uma forma de homenagear o trabalho que a Rede Feminina desenvolve em todo o país, além de fazer alusão à principal campanha da entidade: o Outubro Rosa.

Durante o mês, todas as tarifas de saneamento entregues pelo Samae serão rosas e contarão com o desenho de um laço, símbolo da campanha.

Despesas médicas

Em primeira votação, os vereadores de Jaraguá do Sul aprovaram o projeto que autoriza o Executivo a pagar R$ 19,5 mil de despesas médicas com o atendimento de servidores públicos municipais vítimas de acidente de trabalho.

O valor é a soma das despesas adquiridas pela Administração com entidades como hospitais e clínicas médicas pela compra de procedimentos, como consultas e exames. O tema gerou polêmica. A oposição acusa o governo de querer legalizar uma fatura que já foi paga.

Cabo eleitoral

Vereador Ronaldo Magal tem batido ponto antes das 7h da manhã fazendo bandeiraço pelo candidato do PSD ao governo do Estado, Gelson Meirisio. Merisio estará segunda-feira em Jaraguá do Sul, na plenária da Acijs.

Em campo

O prefeito em exercício, Anderson Kassner (PP) acompanhou na manhã de ontem a implantação da ciclofaixa entre as ruas Padre Alberto Romuald Jakobs, Irmão Leandro e Maria Umbelina da Silva, uma das suas antigas reivindicações.

A estrutura está em fase de finalização já com a colocação de tachões e a previsão é de que, em caso de tempo firme, seja concluída até o fim desta semana. São 981 metros de ciclofaixa.

Pelas reformas

Candidato ao Senado Jorginho Mello (PP) esteve nesta quarta-feira (26) na sede da Rede OCP News, acompanhado do candidato a deputado federal Carlos Chiodini (MDB) e o prefeito licenciado Antídio Lunelli (MDB).

Jorginho defendeu mudanças estruturais para o país. Disse que quer ser senador para auxiliar o próximo presidente a fazer as reformas, entre elas, a política e a tributária.

Voto MDB

Jorginho Mello já foi quatro vezes deputado estadual e duas vezes deputado federal. Foi um dos primeiros a apoiar à candidatura de Mauro Mariani ao governo do Estado.

Na articulação de alianças, garantiu que o MDB não lançaria concorrente ao Senado e com a indicação da viúva de LHS, Ivete Appel da Silveira, espera ser visto como candidato natural da sigla.

“Sempre fui próximo do MDB. Aliança não pode ser uma coisa forçada, tem que ser por afinidade”, diz.

Compromisso reforçado

O candidato da Coligação “Santa Catarina Quer Mais" Mauro Mariani também cumpriu agenda na região, ontem. Logo no começo da manhã, Mariani participou, em Guaramirim, de reunião com o setor produtivo e se comprometeu com pleitos do Vale do Itapocu, onde tem base eleitoral.

Mariani voltou a garantir que, como governador, irá trabalhar pela duplicação do trecho urbano da BR-280 e que colocará o peso político em Brasília na cobrança pela duplicação da BR-280 até São Francisco do Sul.

Também destacou a luta pelo contorno ferroviário, cujo estudo do traçado foi contratado. Na opinião de Mariani, o melhor caminho seria incluir a obra dentro do prolongamento do contrato da empresa que opera a linha férrea.

Contra aumento de impostos

Durante a plenária conjunta da Aciag, Aciam, Acias e Aciac, Mariani também garantiu que não irá aumentar impostos e que irá trabalhar para facilitar a vida do empresário.

"Em nosso governo o empreendedor terá tapete vermelho. Vamos prestigiar quem produz", disse ele, que pretende desburocratizar a abertura de novos negócios.

Camasão em Jaraguá

E nesta quinta-feira (27), quem faz campanha em Jaraguá do Sul é o candidato do PSOL ao governo do Estado, Leonel Camasão. O jornalista estará no terminal urbano das 7h30 às 10h30.

Caiu nas redes

Estreante em uma disputa eleitoral, o candidato a deputado federal Leandro Schmöckel Gonçalves, do Novo, decidiu intensificar a presença ao vivo nas redes sociais. Em uma live, ontem, respondeu perguntas de internautas.

Falou sobre o processo seletivo da sigla, defendeu a necessidade de reajuste anual da tabela do Simples Nacional, criticou o peso da máquina pública ressaltando que todos os candidatos do partido têm compromisso com a sigla de diminuir em, no mínimo, 50% os gastos com gabinete.

Leandro volta a falar ao vivo hoje, às 13h, no Facebook.

Quer receber as notícias no WhatsApp?