Programa de prevenção ao câncer de pulmão

Foto: divulgação

Por: Giovani W. Mezzalira

07/07/2022 - 07:07

Mestre em cirurgia torácica, o médico Giovani Mezzalira está em conversas com a secretaria da saúde para implantar um programa de prevenção contra o câncer de pulmão já utilizado nos grandes centros, chamado de rastreamento do nódulo pulmonar. A ideia é implementá-lo também no SUS, com apoio da prefeitura, o que já faz em sua clínica para particulares e convênios.

A iniciativa vem ao encontro de medidas internacionais onde a precaução já é uma realidade na rede de saúde. “O objetivo geral é auxiliar e otimizar os atendimentos.

Implantar a conscientização do diagnóstico precoce, informando a população e os próprios médicos quem são as pessoas indicadas para entrarem no programa de prevenção e acompanhamento é o objetivo específico do programa, conforme o documento. Isso porque, segundo o dr. Giovani, muitos desconhecem as atuais medidas para encontrar uma doença no seu estado inicial com maior chance de cura. Quando muito, fazem um simples raio X.

O grande diferencial para que o programa funcione é selecionar uma parcela da população que apresente maior risco de desenvolver a doença e nesta implementar um acompanhamento com tomografia com metade da dose de raios, para evitar as complicações da radiação. Para isso, é fundamental que se saiba quais os fatores de risco.

Com o programa de rastreamento, a porcentagem de morte diminuiu em todos os principais trabalhos científicos. Com base nestes resultados tão satisfatórios, poder mudar este drama do diagnóstico tardio no câncer de pulmão, onde a cura é inexistente, é o principal objetivo do seu trabalho em Jaraguá do Sul e região.

Mortes em SC

Dados do IBGE indicam que o câncer de pulmão foi a causa da morte de 1.376 pessoas em Santa Catarina em 2016. O número de casos cresceu de forma gradativa e é 52,7% maior do que o registrado há dez anos.
Já em Jaraguá do Sul, essa foi a doença que mais matou em 2016, seguida de câncer de estômago.

Tabagismo

De acordo com o médico, o tabagismo é, também, a principal causa de morte por câncer em homens, e a segunda principal em mulheres no Brasil.
“Parar de fumar pode reduzir o risco. Após 10 anos sem fumar, afasta a possibilidade de desenvolver a doença em até 50%”, diz, acrescentando que a estimativa de novos casos para os próximos anos no Brasil está em mais de 30 mil ocorrências, entre homens e mulheres.

Características do grupo de risco
– Idade entre 40 e 75 anos;
– Fumantes ativos – 20 maços de cigarros ao ano, ou mais;
– Aqueles que pararam de fumar por um período menor que 15 anos;
– Histórico de câncer na família;
– História de câncer anterior;
– Exposição a agentes nocivos inalatórios no trabalho
– Exposição no trabalho de inalantes diversos

As ações previstas para estes pacientes que se encaixam no grupo selecionado

– Execução com maior assiduidade das medidas de combate ao fumo com acompanhamento médico e multidisciplinar.
– Palestras em âmbito geral.
– Tomografias com metade da dose por períodos a se estabelecer de forma personalizada, acompanhamento de nódulos pulmonares, no caso da mudança do comportamento do nódulo nas análises tomográficas que podem variar de 3 em 3, 6 em 6 meses e até anual, poderemos indicar o melhor diagnóstico e tratamento, oportunizando a maior curabilidade.

Onde atende

O Dr. Giovani Mezzalira (CRM 8611) atende à rua João Planincheck, 1990, sala 513, no Jaraguá Esquerdo no Blue Chip Centro Executivo /Facebook e Instagram: @clin.toraco.