Preço é preocupação de 32% dos consumidores catarinenses para o Dia dos Namorados

Colunistas

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sábado, 04:00 - 11/06/2016

OCP News Jaraguá do Sul
Pesquisa divulgada pela Fecomércio (Federação do Comércio) de Santa Catarina revelou que preço e atendimento são as preocupações centrais dos consumidores em busca de presentes para o Dia dos Namorados. Para 32% dos entrevistados, ter um menor gasto é fundamental, enquanto 31% querem ter uma boa experiência na hora da compra. As promoções aparecem em terceiro lugar, para 18% dos consumidores. Os itens mais procurados serão vestuário, para 48,3% dos catarinenses, seguido pelo setor de perfume e cosmético em 17,7% dos casos, e por calçados e bolsas, em 11,2%. O comércio de rua vai ser a opção para 65,2% dos consumidores, seguido pelo shopping para 26,6% e pela internet 3,7%. O pagamento à vista em dinheiro foi a opção mais lembrada, por 67,3% dos catarinenses, seguida pela compra parcelada no cartão de crédito, 12,3%, e pela compra à vista no cartão de crédito 9,0%. Os números revelam que os consumidores estão pouco dispostos a se endividar.

* * *

IMG_3448

O escritório Arão dos Santos e Advogados Associados SS, na noite de 07/06/16, promoveu um encontro para seus clientes e amigos empresários da região de Jaraguá do Sul para a realização de uma palestra sobre Governança Corporativa e Gestão Empresarial. A palestra foi ministrada pelo professor Carlos Ernesto, que é Consultor em Finanças, Governança Corporativa, Gestão Estratégica, e Conselheiro de Empresas.

O professor Carlos é, também, membro da Comissão do IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), que editou o Caderno de Boas Práticas de Governança Corporativa para Empresas de Capital Fechado, bem como Conselheiro Certificado do IBGC para Conselhos Fiscais e de Administração. O evento foi promovido nas dependências do Centro Empresarial de Jaraguá do Sul – CEJAS, e teve como objetivo o enriquecimento do conhecimento de seus convidados, já que tratou de temas relacionados ao dia a dia das empresas.

* * *

Legalização renderia R$ 6 bilhões, diz estudo

Legalizar a maconha no Brasil poderia render entre R$ 5 bilhões e R$ 6 bilhões por ano para os cofres públicos, de acordo com um estudo divulgado pela Consultoria Legislativa da Câmara dos Deputados. Seria cerca de 40% do que o país arrecada hoje em impostos sobre bebidas alcoólicas e 60% da arrecadação com o tabaco. A maconha é a droga ilícita mais consumida do mundo. Nos últimos anos, experiências de legalização tem sido feitas com resultados promissores em lugares como o Uruguai e os estados americanos do Colorado e Washington.

* * *

Inscrição para vestibular segue até domingo

Terminam neste domingo as inscrições para o Vestibular de Inverno 2016 da Católica de Santa Catarina, em Jaraguá do Sul. O valor é R$ 55. São oferecidas 120 vagas para os cursos de Administração e Direito, ambas noturno. Para participar do processo seletivo, o candidato deve se inscrever no site www.catolicasc.org.br.

* * *

Fiesc quer estudar lojística estadual

A Federação das Indústrias de Santa Catarina (Fiesc) está em busca de parceiros para viabilizar a contratação de um estudo sobre a logística do Estado. Atualmente, a situação da macrologística catarinense custa R$ 0,14 para cada R$ 1 faturado. Para diminuir esses custos e tornar Santa Catarina mais competitiva, a federação quer contratar os estudos do Instituto Fraunhofer, da Alemanha. O objetivo é estudar as condições de intermodalidade do Estado, considerando a infraestrutura de transporte já disponível e quais projetos são prioridade. A intenção é favorecer as cadeias logísticas de suprimento e distribuição, conectando-a com os principais mercados domésticos e internacionais. O estudo da Fraunhofer, que tem a duração de seis meses, custa 180 mil euros, e parte desse valor será subsidiado pela federação.

* * *

441,76%

Com a decisão do Comitê de Política Monetária do Banco Central em manter a taxa Selic em 14,25%, os juros cobrados diretamente ao consumidor continuam subindo. Segundo levantamento da Associação Nacional dos Executivos de Finanças (Anefac) foi a quinta elevação dos juros neste ano e a vigésima consecutiva. No caso do cartão de crédito, o juro do rotativo subiu de 15,01% para 15,12% ao mês, entre abril e maio. No ano, quem usa o rotativo do cartão paga juro de 441,76%, o maior nível em 21 anos. Juros do comércio e cheque especial também tiveram aumento entre abril e maio.

×