Com a proposta de ouvir a sociedade e coletar reivindicações que farão parte do projeto que o PMDB vai apresentar para o Estado em 2018, as principais lideranças da sigla estarão nesta sexta (12) em Jaraguá do Sul.  Batizado de “15 em Movimento”, o encontro comandado pelo secretário estadual de Desenvolvimento Econômico, Carlos Chiodini, terá início às 10h, na Câmara de Vereadores. Presidente estadual da sigla, o deputado federal Mauro Mariani está entre os nomes mais aguardados. À coluna, Mariani admitiu o componente político-partidário do evento, mas ressaltou que o objetivo central do projeto – que irá percorrer nas próximas semanas as 36 regiões do Estado -, é ouvir a comunidade, as associações empresariais e as universidades sobre seus anseios e prioridades. “É um momento importante para construção de propostas. O último projeto político apresentado a Santa Catarina foi há 16 anos, com a descentralização do Luiz Henrique (o ex-governador e senador Luiz Henrique da Silveira, falecido há dois anos). Mas, de lá para cá, o mundo mudou em uma velocidade inédita. Não adianta ficarmos entre quatro paredes formatando propostas, é necessário ouvir a sociedade”, diz. Se até então Mariani falava com cautela sobre o pleito do próximo ano, agora é enfático ao afirmar que seu nome está à disposição para corrida pelo governo do Estado. “Sou pré-candidato. Se alguém mais quiser se colocar não tem problema. O PMDB tem histórico de disputa interna, mas acho que não vai ser preciso”, prevê. “Essa divisão não vai levar o país a lugar algum” Comentando o depoimento do ex-presidente Lula e o cenário eleitoral nacional para o próximo ano, o presidente estadual do PMDB, Mauro Mariani, avalia que a polarização que se desenha é um risco. “Essa divisão não vai levar o país a lugar algum. É um Fla-Flu, não é um debate de ideias, é um ódio cego dos dois lados e os candidatos que protagonizam a cena até agora apostam ainda mais nessa divisão”, disse o peemedebista citando Lula, Bolsonaro e João Dória. “O Dória, que poderia ser o novo, está seguindo essa mesma linha para tentar capturar o eleitor anti-PT. Precisamos de alguém capaz de unificar, não de dividir ainda mais.” Lunelli reúne colegiado e conselhão Para falar sobre os avanços da administração e debater estratégias, o prefeito Antídio Lunelli (PMDB) reuniu pela primeira vez na quinta-feira (11) o colegiado e os integrantes do conselho consultivo. Foi o primeiro encontro com a participação do prefeito de Joinville, Udo Döhler, que falou sobre a experiência e os desafios de governar a cidade mais populosa do Estado. Döhler está em seu segundo mandato. Entre os conselheiros de Lunelli também está o empresário Vicente Donini.   Mais agilidade Para tentar dar mais agilidade aos trabalhos de Tomada de Contas, processos administrativos e disciplinares, além das sindicâncias, projeto lei elaborado pela Procuradoria prevê que os integrantes dessas comissões só sejam remunerados nos 90 primeiros dias de trabalho. Depois, se as investigações forem prorrogadas, a Prefeitura não terá despesas extras. A medida visa evitar que os processos se arrastem por anos sem nenhuma definição. Verba para o Bananalama Prefeito de Corupá João Carlos Gottardi (PP) esteve com os deputados Darci de Matos (PSD) e Jean Kuhlmann (PSD). Saiu do encontro com a promessa de que os parlamentares irão atuar para garantir que o Estado repasse através do Fundam R$ 250 mil para o Bananalama, que volta a ocorrer neste ano depois de ser suspenso em 2016 por falta de verba. Suspensão de CNHs A previsão do gabinete do deputado Gelson Merísio (PSD) é que o projeto do parlamentar que prevê, entre outras coisas, que o Detran tenha que avisar os motoristas que estão prestes a ter a carteira de motorista suspensa por ultrapassarem o número de pontos permitidos por lei sejam avisados com antecedência e também que os pontos sejam zerados de um ano para o outro seja votado em junho deste ano. A cautela é para que o projeto não conflite com o que prevê o Denatran. Somando 2014 e 2015, a estimativa é que mais de um milhão de condutores possam ter a carteira suspensa pelas regras atuais. Visita aguardada Se vier mesmo a Jaraguá do Sul este mês como previsto, Raimundo Colombo (PSD) quebrará um intervalo de quase dois anos de ausência. A última vez que o governador esteve no município foi em agosto de 2015 para solenidade de inauguração da Escola de Ensino Médio Professor Lino Floriani, no bairro Santo Antônio.