O código penal do Brasil é uma vergonha, tão grande quanto sabermos que temos alguns representantes no judiciário que não passam de canalhas. Gilmar Mendes, o ministro do STF, é um desses que é um câncer para o Brasil. Mas não é só ele, a lei no geral e sua aplicação é uma vergonha. Exemplos não faltam! O ex-deputado envolvido em corrupção, o Pizzolatti, bateu o carro e ao que tudo indica estava bêbado. Pelo menos no vídeo que fizeram, ele estava totalmente sem condições. Quase matou duas pessoas e, diferente de qualquer mortal, foi ao hospital sem escolta policial e de lá escapou, foi embora, sumiu. Que fase! Isso é inadmissível, inacreditável. Agora, não pode ser preso, pois passou o flagrante. Aliás, falando em flagrante, essa semana ocorreu algo ainda mais bizarro aqui em nossa região. Primeiro, bandidos assaltaram uma revenda de veículos de Guaramirim. Levaram uma caminhonete, ok! Final da tarde uma viatura cruzou com os caras e resolveu tentar abordar, perseguiu e os santinhos se enfiaram em um matagal. Foram farejados pelo cão e um levou tiros ao tentar reagir, morreu. O outro fugiu no meio do mato. A polícia encerrou as buscas e pronto. No outro dia alguém liga que um maluco está correndo todo machucado às margens da via. A polícia vai atrás e pimba, é o segundo envolvido que passou a noite no mato escondido. Foi preso e levado à delegacia. Lá, o delegado teve que soltar, já que não existia mais flagrante, nem mandado de prisão, seguiu a lei arcaica, indecente, ultrapassada. O que ocorreu? O cara foi solto e na sexta-feira apareceram dois homens (ao que tudo indica um deles é o cara que foi solto) na revenda assaltada para tirar satisfação com o dono e fazer ameaças. É nessas horas que você percebe que a polícia enxuga gelo quando prende, chega a dar nojo. LEI SECA  A lei seca mudou, para melhor? Não sei, alguns juristas já dizem que piorou, que agora nem prende mais, tudo se reverte em cesta básica. Vergonha, enquanto não for rígido o bastante para o motorista ter medo de beber, vai continuar a morrer gente no trânsito por causa de bêbados. ENTÃO É NATAL  Chegou ao fim mais um ano, e essa é a última coluna do Fritzke antes do Natal. Eu não poderia deixar de agradecer a audiência e o carinho de todos vocês. Podem sempre contar comigo, pois estou à disposição. Que todos tenham um Natal de perdão, de amor e de reflexão. Não esqueçam que o presente é bom, mas que o sentido da data é o nascimento de Jesus. Um mega abraço e boas festas, amigos assinantes do O Correio do Povo.