Começa a corrida para conquistar o eleitor Depois da expectativa em torno de quem seriam os candidatos e as coligações, começa oficialmente hoje a campanha eleitoral que vai definir prefeitos e vereadores em todos os municípios do país. Pela primeira vez, o pleito será regido sob as novas regras aprovadas na minirreforma eleitoral. As mais significativas dizem respeito ao tempo, - os candidatos terão apenas 45 dias para conquistar o coração e a mente dos eleitores – e aos gastos e arrecadação – com a proibição da doação de recursos por empresas, em Jaraguá do Sul, os candidatos à Prefeitura vão poder desembolsar no máximo R$ 240 mil e os concorrentes à Câmara vão poder gastar R$ 24 mil. A previsão também é de que as redes sociais tenham um papel ainda maior em relação aos pleitos anteriores. Com os candidatos mais expostos, o eleitor tem a chance de escolher melhor quem lhe representa. Antídio Lunelli (PMDB), Ivo Konell (PSB), Jair Pedri (PSD) e Luiz Ortiz (PT), os quatro concorrentes terão um mês e meio para explicar como pretendem melhorar o município em meio à uma crise econômica de grandes proporções. Com isso, o eleitor deve ficar ainda mais atento para não acreditar em promessas mirabolantes que não passam no primeiro teste de viabilidade. Os candidatos terão que dizer o que pretendem fazer e como. A eleição é a expressão maior da democracia e votar consciente, conhecendo o histórico do candidato, de seus aliados, e suas propostas, é um dever de cidadania. Que cada um faça sua parte para o bem de todos. linha flechaPerfil falso Nem bem a campanha começou e a guerra suja já está com tudo nas redes sociais. Candidato à Prefeitura de Guaramirim, Nilson Bylaardt (PMDB) já denunciou a criação de um perfil falso dele no Facebook. linha flecha Com 15 no peito O prefeito Dieter Janssen (PP) já trocou o tradicional adesivo do 11 que utilizava no seu carro, pelo 15, número do PMDB de Antídio Lunelli. linha flecha
Foto: Rafael Verch
Foto: Rafael Verch
Para quebrar hegemonia Depois de perder a eleição de 2012 para Luiz Carlos Tamanini (PMDB) por uma diferença de 1.300 votos, João Gottardi volta a se arriscar nas urnas, agora, pelo PP. As prioridades, segundo ele, são saúde e educação, setores nos quais não se deve falar em economia, além do apoio à geração de emprego e renda, com impulso da agricultura, especialmente da industrialização da banana, e o turismo. Se vencer o pleito, Gottardi quebra uma hegemonia de mais de 30 anos. linha flecha Mudança no Jaraguá A médica Marcia Pruesse deve ser anunciada hoje como diretora operacional do Hospital Jaraguá. Antes, ela comandava o Hospital de Guaramirim, que enfrentava uma série de dificuldades.  Para diretoria administrativa, deve ser confirmada Maike Baumgartel, que já trabalha na unidade. linha flecha Campanha do Cejas As entidades ligadas ao Centro Empresarial de Jaraguá do Sul (Cejas) lançam hoje a campanha ‘Um vereador pra chamar de meu’. O material será apresentado, em primeira mão, a presidentes de associações de moradores, às 19h. Logo depois, o primeiro vídeo de uma série será publicado na página www.facebook.com/prachamardemeujgs. linha flecha Com 15 no peito O prefeito Dieter Janssen (PP) já trocou o tradicional adesivo do 11 que utilizava no seu carro, pelo 15, número do PMDB de Antídio Lunelli. linha flecha Candidatos e servidores O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais agendou entre os dias 29 de agosto e 2 de setembro, às 18 horas, nas Câmaras de Vereadores, encontro com os candidatos às Prefeituras da região.  O primeiro encontro deve reunir os candidatos a prefeito de Guaramirim, no dia 29 de agosto. Depois será a vez dos candidatos de Schroeder, no dia 30, e de Corupá, no dia 31 de agosto. Dia 1º de setembro acontece o encontro entre os candidatos a prefeito de Jaraguá do Sul e, no dia 2 de setembro, de Massaranduba. Conforme as regras estabelecidas, a apresentação será feita por ordem alfabética e de forma individual, ou seja, cada candidato explanará pelo tempo de até 15 minutos suas ideias e propostas para a categoria, sem a presença dos concorrentes. linha flecha eleicoes 2016• De olho nas eleições municipais, os maiores partidos do Estado fazem suas projeções para o pleito sabendo que a disputa pelo Palácio Barriga Verde, em 2018, começa agora: • O PMDB já é o maior partido do Estado, no comando de 213 municípios, mesmo assim pretende crescer e, sobretudo, evitar o encolhimento. O partido está presente na chapa majoritária de 277 municípios e em 82 em chapa pura. Em pelo menos três cidades - Tigrinhos, Cordilheira Alta e Salto Veloso, todas no Oeste -, os peemedebistas já podem contar vitória. É que por lá são candidatos únicos às prefeituras. • Em sua segunda participação em eleições municipais – a primeira foi em 2012 -, o PSD está com 12,9% mais candidatos a prefeitos este ano. Apesar do crescimento observado, o partido não atingiu sua meta inicial, de 170 cabeças de chapa. Gelson Merisio acredita que as desistências ocorridas foram motivadas pela maior dificuldade para cumprimento das regras eleitorais. “Mesmo assim, queremos passar dos 52 eleitos em 2012 para no mínimo 70 em 2016”, projeta ele. • O PSDB catarinense fez um planejamento para chegar a, pelo menos, 150 candidaturas em chapas majoritárias, objetivo superado com folga. O trabalho de mobilização foi feito junto com a militância, que garantiu 10 mil novos filiados. Com isso, são 105 mil tucanos no Estado. O partido comanda 104 municípios catarinenses. • Entre as candidaturas do PP-SC, 23 são em chapa pura e, em mais de 150 cidades, a aliança é com o PSD, um ensaio da dobradinha que deve surgir em 2018 para o governo do Estado, esta é a articulação, pelo menos, entre Merísio e o deputado federal Esperidião Amin. O PP tem hoje 104 Prefeituras. • Vivendo o pior momento de sua história, o PT apresentou recuo no número de candidaturas. Mas a principal comemoração é pelo número expressivo de presença nas majoritárias dos 20 maiores municípios. O partido, que ocupa hoje 64 Prefeituras, saiu com chapa pura em 24 cidades. Salvar Salvar