OCDE vê crescimento global fraco, mas estima um recuo menor para o Brasil em 2016

Colunistas

Por: OCP News Jaraguá do Sul

quinta-feira, 04:00 - 22/09/2016

OCP News Jaraguá do Sul
brasil-lusa
Foto: Divulgação
O crescimento econômico global vai enfraquecer neste ano e no próximo a taxas que não eram vistas desde a crise financeira, uma vez que a marcha para a globalização sofre uma pausa, alertou ontem a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). Para o Brasil, entretanto, a organização melhorou sua estimativa e passou a ver uma contração menor em 2016 e 2017. A OCDE estima que a economia global irá crescer apenas 2,9% este ano, contra estimativa anterior em junho de 3%, a taxa mais fraca desde a crise financeira de 2008/2009. Mas a OCDE se mostrou menos pessimista sobre a recessão no Brasil e prevê uma queda do PIB de 3,3% em 2016, contra a previsão anterior de 4,3%, anunciada em junho. Para 2017, a OCDE prevê para o Brasil um Produto Interno Bruto (PIB) ainda negativo, em -0,3%, um resultado bem mais otimista que a previsão de junho (-1,7%). A OCDE considera que a economia global “permanece atrelada a um crescimento frágil”. Para 2017 o cenário é similar e a organização com sede em Paris prevê agora um crescimento de 3,2%. Na maioria das economias desenvolvidas o crescimento continuará sendo frágil. Este é o caso dos Estados Unidos, onde a OCDE prevê um crescimento de 1,4% este ano e de 2,1% em 2017. Na zona do euro, o avanço será de 1,5% em 2016 e 1,4% em 2017. linha flecha Vale vende área de fertilizantes O Conselho de Administração da Vale aprovou a venda de dois terços de sua área de fertilizantes para a americana Mosaic. Uma transação de US$ 3 bilhões. Originalmente, a Vale venderia todos os seus ativos no setor. Para valorizá-los, no entanto, resolveu fazer uma separação. Uma parte menor dos ativos, mais ligada à área química, está sendo negociada a parte, por cerca de U$ 1 bilhão. linha flecha Gasolina pode ficar mais barata A Petrobras estuda reduzir o preço da gasolina para garantir a paridade com o preço internacional. A diretoria analisa os possíveis cenários, e a queda de preço poderia ocorrer até o fim do ano. A última vez em que a petroleira reajustou o preço da gasolina e do diesel foi em setembro do ano passado. Segundo Adriano Pires, do Centro Brasileiro de Infraestrutura, a possível redução dos preços dos combustíveis visa a arrumar distorções que os preços mais caros no Brasil estão causando. Ele cita o aumento da importação de diesel e gasolina pelas distribuidoras. Na última semana, a estatal vendia gasolina 20% mais cara no Brasil em relação ao exterior, e o diesel com preço 40% maior. linha flecha Reajustes abaixo da inflação Mais da metade (51,8%) das negociações salariais — acordos e convenções coletivas — com vigência em agosto ficou abaixo da inflação medida pelo INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que foi de 9,6% no período, conforme o boletim Salariômetro, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), com base em dados do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). Houve aumento na fatia de negociações que perdeu para a alta de preços: em julho, a proporção foi de 36,2%. Em junho, de 22%. Em maio, de 40,5%. Em abril, de 41,1%. Apesar do alto índice de ajustes abaixo da taxa de inflação, a mediana das negociações do mês passado se igualou à variação do INPC. linha flecha sandroVocê desenvolve sua a carreira profissional? “Os nossos resultados são espelho de nossas atitudes.” A carreira profissional é desenvolvida ao logo do tempo. Hoje, eu pergunto: você desenvolve sua carreira profissional? Existem pesquisas apontando que muitos profissionais reconhecem a necessidade de estar em contínuo desenvolvimento, aprimorando-se através de cursos, treinamentos, leituras, entre várias outras formas que contribuem para o desenvolvimento da carreira. Infelizmente, as mesmas pesquisas apontam que muitos profissionais também dizem que essa iniciativa é de responsabilidade da empresa. Na opinião deles, esse desenvolvimento, que possui custos e requer investimento de tempo, deve ser pago pela empresa e, se os cursos e treinamentos forem realizados fora de horário de trabalho, os profissionais querem receber como jornada extra. Muitas empresas realmente fazem isso, devido à escassez de mão de obra em algumas áreas do conhecimento, mas é muito importante e vale ressaltar que isso vai muito além de uma questão de obrigação da empresa, tem a ver com o desenvolvimento profissional. As oportunidades aparecem o tempo todo e são para quem está preparado. Se você desenvolve sua carreira de forma contínua, as oportunidades são para você. O importante é ter um planejamento claro de sua carreira profissional. Somente quando estabelecemos onde queremos chegar podemos planejar nossas ações e ampliar recursos e desenvolver competências para alcançar o objetivo. Ser perseverante e passar por melhoria contínua são pontos fundamentais para se estar em movimento, pois as oportunidades aparecem e elas são para quem está preparado. Dessa forma, são fundamentais aspectos como autoconhecimento, saber quais são seus próprios pontos fortes e pontos a melhorar e quais são as competências e habilidades que irá desenvolver e o que deseja com sua carreira. Talvez você precise de ajudar para se realocar ou desenvolver alguns aspectos que citei. Se for isso, através de um processo de coaching é possível ampliar seus recursos e desenvolver suas capacidades.
×