O valor da liberdade – Luiz Carlos Prates

Foto Divulgação

Por: Luiz Carlos Prates

12/07/2023 - 06:07

Penso que elas são irmãs gêmeas, a felicidade e a verdade, elas são bem próximas até na rima. E você sabe que é tão difícil chegar à felicidade quanto encontrar a verdade, só que… É preciso correr atrás da verdade, já disse, ela é irmã gêmea da felicidade. Ou será que alguém pode ser feliz vivendo numa mentira? Cedo ou tarde, a verdade vai aparecer, e a ilusão de até então vira um inferno. Dito isso, abro a porta para lembrar de Cristo. Cristo andava pelas esquinas passando a mensagem que muitos, como hoje, não queriam ouvir, aquela que diz que – “Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará”. A ciência se alicerça sobre a verdade, enquanto uma pesquisa não puder ser confirmada como verdade, tudo não passará de possibilidades. Na nossa vida aqui fora é a mesma coisa. Como é que podemos pôr alianças num casamento no escuro, sem que ele e ela conheçam a “verdade” sobre ele ou ela? Casar no escuro, casar pelo sobrenome dele, pelo dinheiro que ele tem no banco, pelo cargo que ocupa, pelas exibições, enfim, que andam por aí, bah, é tiro no escuro. Para evitar uma quase certa infelicidade no futuro, é preciso que haja um namoro bem atento entre os pombinhos para que a verdade os liberte para o verdadeiro amor. Vale também para o trabalho. É preciso conhecer nossa verdade sobre nossos potenciais talentos, sobre nossos gostos, para que o trabalho não vire apenas um modo de ganhar um salário, baixeza pura. E o que dizer dos candidatos políticos? Temos que lhes conhecer a verdade, só conhecendo essa verdade sobre os pilantras é que podemos conhecer a liberdade. Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará, pois não? Então, desde as piratas caravelas de Cabral estamos procurando, no escuro, encontrar essas verdades, essas que libertarão o Brasil da pecha de terceiro-mundo. Ah, claro, e antes de tudo, precisamos conhecer a “nossa” verdade, a verdade que nos fará chegar à libertação. Fazer poses, mentir, exibir-se mentirosamente nas redes sociais não leva a lugar algum senão ao atoleiro existencial em que hoje vive a maioria. A verdade é tão simples e fácil quanto ser feliz, basta que puxemos nossas máscaras para conhecer as nossas verdades. Só a verdade nos libertará, não é mesmo, Jesus?

PALAVRAS

Ela é bem jovem, mas já tem uma baita “estrada”, já fez “de tudo um pouco”, agora faz tevê. Juntou-se, faz alguns meses, com um desses nadas que andam por aí, cara todo riscado, dito cantor, um nada, enfim. Separaram-se. E a tal jovem saiu dizendo que sofreu violência enquanto estava ajuntada com o cara. Só que acabei de ler ela dizendo que se separou, sim, mas que ele não sai do coração dela. E as “violências”? Eram de amor? Gentinha.

SUJEIRA

Tive um vizinho, há muitos anos, que era fabricante de fogões comerciais para restaurantes e hospitais. Ele vivia indo e vindo a lugares onde tinha vendido fogões, fazia visitas para reparos ocasionais nos fogões. Nunca esqueci, um dia ele contou que se qualquer pessoa visse como são as cozinhas desses lugares muito frequentados, nunca mais comeriam fora de casa. Credo. Não esqueci.

FALTA DIZER

Calar a boca devia ser remédio obrigatório para essa maioria que anda por aí. Uma famosa, conhecidíssima, está casada há 57 anos com um sujeito muito legal, mas… Ela acabou de dizer numa entrevista que queria ter tido, “conhecido” outros homens. Ah, é? Tchau, querida, o marido lhe devia dizer… Idosa e grossa!

 

Notícias no celular

Whatsapp

Luiz Carlos Prates

Jornalista e psicólogo, palestrante há mais de 30 anos. Opina sobre assuntos polêmicos.