O abuso sexual é algo que está, infelizmente, incorporado em nossa sociedade rotineiramente. Quase que diariamente a mídia notícia casos de abuso, sejam eles contra crianças ou adultos. Hoje, em especial, vou dedicar esse texto aos casos que envolvem crianças. Pesquisas e estatísticas mostram que na esmagadora maioria dos casos o agressor é alguém do convívio, do laço familiar ou do rol de amizades da família. E quando o agressor, o pecador, o “demônio” da história, é aquele que, na verdade, aos olhos de todos seria o santo ou o exorcista? O que fazemos? Não é de hoje que sabemos de vários casos de padres (acho que não mereciam esse nome após cometer tais atos, mas enfim) que abusam de crianças. Aquele que, para os pais, iria orientar a vida de fé dos pequenos passa a ser o monstro. O assunto é tão amplo que foi tema de filme. O longa Spotlight - Segredos Revelados foi lançado em sete de janeiro deste ano, nos Estados Unidos. Baseado em uma história real, o drama mostra um grupo de jornalistas em Boston, que reúne milhares de documentos capazes de provar diversos casos de abuso contra crianças, causados por padres católicos. Durante anos, líderes religiosos ocultaram o caso transferindo os padres, ao invés de puni-los pelo caso.
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
“Mas William, é só mais um filme de pessoas que querem atentar contra a santa igreja e seus representantes”. Mentira! Prova disso é que um dos “personagens” do filme foi preso na vida real.  O “padre” Bonifácio Buzzi, de 57 anos, já tinha virado “estrela” após ser citado no filme (que ganhou o Oscar, por sinal). Mas agora, a situação saiu das telinhas e a “estrela” de Bonifácio deve estar a milhões de quilômetros longe do céu. O indivíduo foi preso na manhã desta sexta-feira em Barra Velha, pela Polícia Civil de Três Corações (MG), cidade onde surgiram as denúncias contra o religioso. Segundo informações colhidas pela imprensa com o delegado regional da cidade do Sul de Minas Gerais, Pedro Paulo Marques, o “santo padre” já foi condenado a 20 anos de prisão por abuso sexual, ficando preso em regime fechado de 2007 até 2015, quando passou a cumprir a pena em regime aberto. A nova denúncia teria surgido em junho deste ano, quando o tinhoso teria abusado sexualmente de uma criança de nove anos e de um adolescente de 13 anos, em uma comunidade cristã em Três Corações. O homem tinha residência em Joinville, mas estava foragido na casa da irmã em Barra Velha. Ele deve ser levado para o presídio. E agora, será que vão expulsar de vez o transgressor da igreja? Esperamos que sim! No meu ponto de vista, é inaceitável qualquer caso de abuso, com agravante em situações como essas, onde o malfeitor tem o álibi de sua santidade para se eximir de qualquer suspeita por parte dos pais das vítimas. Prisão e expulsão do cargo. Seja padre, pastor, bispo, católico, luterano, evangélico, budista, não me importa, é inaceitável e ponto final. Por fim, se querem saber a minha opinião, respeitando todas as religiões, crenças ou seja lá o que for, para mim, muitas coisas devem mudar e os padres poderiam ter a opção de ter um relacionamento, uma esposa e uma família. É isso e até a próxima!