Com o objetivo de até setembro deste ano percorrer as 36 regiões de Santa Catarina – divididas conforme a descentralização idealizada pelo ex-governador Luiz Henrique da Silveira – parte da cúpula do PMDB esteve ontem em Jaraguá do Sul. A proposta do partido é ouvir a sociedade sobre as mudanças pelas quais o Brasil passa e conhecer os anseios da população. O presidente estadual da sigla e deputado federal, Mauro Mariani, aproveitou o momento para confirmar sua pré-candidatura ao governo do Estado, desejo que já havia manifestado em 2014 quando o partido decidiu continuar apoiando Raimundo Colombo (PSD). “Naquela época já era forte o desejo da base de ter candidatura, agora isso é unanimidade. Um partido do tamanho e com a história do PMDB não pode ficar três eleições sem se apresentar às urnas”, disse ao lado do secretário de Estado, Carlos Chiodini, do ex-senador Cassildo Maldaner, do deputado federal Celso Maldaner, do prefeito Antídio Lunelli, da presidente do partido no município, Natália Petry, e do presidente da Câmara, Pedro Garcia. Com a possibilidade de disputar uma vaga na majoritária, Mariani prevê a abertura de espaço para que Chiodini busque uma cadeira na Câmara Federal. “Isso seria muito importante para a região. E só será possível porque o Chiodini tem histórico, tem trabalho para mostrar. Tenho certeza de que será um dos mais votados de Santa Catarina”, previu sobre o jaraguaense. Em seus discursos, Mariani não cita nomes, mas diz não ver problemas se tiver concorrente dentro do partido com a mesma intenção de disputar a eleição para governador. “Eu estou preparado, vou para disputa se precisar. O PMDB tem histórico de debate interno, não vejo problema”. "Não tem como explicar para um trabalhador da indústria que ele vai ter que pagar a conta porque os governos não fizeram o dever de casa e mantêm aposentadorias acima de R$ 30 mil." Reforma da Previdência não deve passar Essa é a avaliação de Mauro Marini sobre o clima no Congresso às vésperas da votação da Reforma da Previdência. Para Mariani, o governo Michel Temer levou um dez a zero na comunicação e errou ao colocar no mesmo pacote funcionários da iniciativa privada, pública (das três esferas) e trabalhadores rurais. “O rombo da Previdência é enorme, a reforma é essencial. Mas não dá para misturar tudo. A Previdência do trabalhador da iniciativa privada está equilibrada, diferente da pública. O déficit é de R$ 80 bilhões tanto federal, quanto estadual. Em Santa Catarina, são R$ 250 milhões por mês de rombo. É preciso resolver isso, mas a reforma proposta pelo governo não tem voto para passar”. Leia mais: Mariani traça candidatura do governo do Estado e opina que reforma da Previdência não passa     Um ano sem Dilma Nos grupos de whatsapp do 15 de sexta-feira (12) a campanha não era em comemoração ao primeiro ano do governo Temer, mas sim a ‘um ano sem Dilma’. Os peemedebistas divulgavam dados do site Empiricus que mostram que nesse período a bolsa subiu 25%, o dólar caiu 10%, o risco Brasil caiu 37% e a Selic caiu de 14,25% para 11,25%. O grande problema do governo continua sendo o desemprego. DSCN3883 Encontro na Alesc O presidente da Assembleia Legislativa, Silvio Dreveck (PP), recebeu em seu gabinete os prefeitos da região João Gottardi (PP), de Corupá; Osvaldo Jurck (PSDB), de Schroeder; e Luís Antônio Chiodini (PP), de Guaramirim; além do ex-prefeito de Jaraguá do Sul Dieter Janssen (PP). Durante a conversa, entre os assuntos os projetos para os municípios do Vale do Itapocu, medidas de economia nestas cidades e até o cenário político para as eleições de 2018.  Diversão para todos O vereador Eugênio Juraszek (PP) comemora a aprovação da Lei Federal n° 13.443, de 11 de maio de 2017, que obriga a adaptação de 5% de brinquedos e equipamentos de lazer em todo território nacional. O parlamentar defendeu a bandeira ao longo do ano passado, quando teve aprovado projeto nesse sentido. ¨As crianças deficientes não podem ser privada do lazer e da felicidade que são as atividades ao ar livre¨, disse. Acijs debate reforma tributária O impacto da corrupção na gestão de recursos públicos, seus reflexos na receita fiscal e como a reforma tributária pode estimular o desenvolvimento econômico do Brasil são aspectos que serão abordados na plenária da Acijs e Apevi nesta segunda-feira (15), às 18h. A palestra será proferida pelo contador com especialização em gestão tributária Tiago Coelho. Levantamento da ONU mostra que cerca de R$ 200 bilhões são desviados no Brasil a cada ano, valor que representa três vezes os orçamentos para a saúde e a educação, e cinco vezes o orçamento na área de segurança pública. Leia mais: Plenária relaciona carga de impostos, corrupção e a importância da reforma tributária para o País   Contra a gripe Secretário de Estado da Saúde, Vicente Caropreso, percorreu no sábado os postos de saúde para acompanhar o Dia a D da vacinação contra a gripe. Já no dia 24, o tucano será protagonista do dia de ação de governo em Jaraguá do Sul. Na data, irá apresentar os resultados à frente da pasta. A procura pela vacinação está abaixo do esperado. Nesta segunda, novos números devem ser divulgados.