Sim, você ouviu bem, moscas tontas. Tudo bem, mas quem são essas moscas tontas? Ora bolas, nós, nós os humanos. Moscas irremediavelmente tontas. Andamos para lá e para cá, procurando a saída, a saída dos labirintos sem saída da vida. Aliás, sem saída talvez seja exagero. Há quem garanta que sim, que há saída para as angústias humanas e para chegarmos ao tapete vermelho da felicidade.

Sobre Psicologia leio de tudo um pouco, todos os dias e cansativamente. Cansativamente porque não há novidades na Psicologia, nunca haverá. Somos um disco a rodar as mesmas inquietações tempos após tempos. Modos de agir e reagir não mudam, na essência humana.

Acabei de ler uma velha edição da revista Mad, revista consagrada de humor americano. E num canto da revista estava a velha frase: - “Laughter is the best medicine”. Rir é o melhor remédio. Mas é preciso entender esse “rir” como pegar leve com a vida, entender que se não rirmos, mais do tempo, vamos viver, mais das vezes, chorando. Chorando sobre os irremediáveis e, pior que tudo, sobre o tem saída e depende de nós.

Saindo da leitura da revista Mad, peguei a última edi- ção da revista Bons Fluidos e fui indo, página por página até que parei num artigo sobre meditação. Nesse artigo, lia-se que: - “...Abrir as portas do coração é a única via a alcançar mudanças e curas”. Ouviste bem? Coração “aberto”, isto é, leve, gracioso, bem-humorado abre as portas para as mudanças de que precisamos e promove até mesmo curas, as costumeiramente chamadas de curas milagrosas. E quem não sabe ou desconfia?

O grande muro a ser pulado é conseguir abrir as portas do coração. Paspalhos pensam que isso é cair na tentação por outra pessoa, o que costumam chamar de amor...Aí pode estar, bem provavelmente, a maior encrenca...

Já citei aqui inúmeras vezes o livro Amor, Medicina e Milagres, do oncologista americano Bernie Siegel, um livro que resume as possibilidades humanas de curas inexplicáveis para a ciência mas perfeitamente possíveis para coração que “se abriram” para a vida. Se abriram, eu disse, eram antes bem fechados, casmurros, como de resto o coração da maioria, o seu, talvez...

Enfim, pegar leve, rir, dar de ombros, só levar a sério o que é sério (quase nada na vida) é ponte para a felicidade, mas... É para muito poucos, talvez para a Madalena, aquela de Jesus...

Verdade

Osho, o pensador indiano, deixou-nos muitas frases, aqui uma delas: - “Todo mundo acha que é religioso só porque está seguindo símbolos exteriores, sem nenhum fogo interior”. Por que gostei da frase? Porque ela fala em “fogo interior”, vivo falando sobre isso nas minhas palestras. Falta-nos fogo interior para quase tudo, já nem falo sobre religiões, onde as pessoas mentem desbragadamente, sem pejos, todas. Todas, eu disse. Quem de fato crê – tem fogo interior - é silencioso e feliz. Conheces alguém?

Falta dizer

Nossas mágoas, raivas, ódios, destemperos de todo tipo não vêm dos fatos em si, dos fatos em que jogamos nossas raivas e ansiedades. Eles vêm de nossas frustrações reprimidas no inconsciente, casos de “polícia” e de severas culpas morais...