Jorginho 1 x 0 Julio Garcia – Claudio Prisco Paraíso

Por: Claudio Prisco Paraíso

01/09/2023 - 06:09 - Atualizada em: 31/08/2023 - 18:20

Jorginho Mello e Julio Garcia travaram uma queda de braço particular esta semana.
O primeiro comanda o Executivo estadual, devidamente eleito em uma vitória esmagadora entre o eleitorado.

O outro é deputado estadual, representante do Legislativo. Também foi eleito, mas provavelmente está em seu último mandato. Eles, contudo, foram para o confronto no terceiro poder, o Judiciário.

O TJSC reuniu seus desembargadores, com 84 dos 95 marcando presença, para a definição da lista tríplice em vaga para a corte destinada aos advogados pelo Quinto Constitucional.
A votação foi em uma lista sêxtupla, concretizada a partir de eleição direta conduzida pela OAB-SC. Lá em julho, a advogada Fernanda Sell obteve uma vantagem de mais de 1,4 mil votos sobre Cláudia Brincas.

Fernanda e seu marido prestaram assistência jurídica ao então candidato a governador Jorginho Mello em 2022. Cláudia Bressan foi quem apoiou Julio Garcia nos anos em que ele esteve sob pressão, chegando a ser preso inclusive, pela Polícia Federal em uma operação que causou grande impacto. Na hora crítica, foi Cláudia quem socorreu o parlamentar em fim de carreira.

 

Rindo à toa

O resultado no Tribunal de Justiça, porém, favoreceu, de maneira plena, o governador em detrimento do parlamentar do PSD.

 

Eu sou

Julio Garcia, aliás, costuma se gabar de suas influências não apenas na Assembleia Legislativa, mas também no Tribunal de Justiça e no TCE, onde ele atuou por 10 anos.

 

Goleada

Fernanda Sell conquistou 69 votos e Cláudia Bressan, 57. Ela ficou em terceiro lugar, registre-se. O vice-campeão foi Zany Leite Junior, que obteve 67 votos.

 

Mulheres

Jorginho Mello já havia sinalizado anteriormente que nomearia uma mulher para a vaga da desembargadora, Salete Sommariva, que deixou o TJSC pela regra da compulsória. Completou 75 anos e se aposentou.

 

Renovação

Fernanda Sell é a nova desembargadora. Foi uma resposta que o governador deu a Julio Garcia. O deputado tem atuado, de forma sorrateira, tentando desestabilizar o atual governo. Procura sempre minar a administração estadual.

 

Máscara

Ambos, Jorginho e Julio, convivem sem grandes problemas, mas é aquela situação da ação dissimulada, onde o líder do PSD deseja posicionar seu partido em boas condições para 2026, ano em que Jorginho buscará a reeleição. Julio não quer ver o atual ocupante da Agronômica em um segundo mandato.

 

Fracasso

Vale lembrar que o PSD apoiou o ex-prefeito da Capital, Gean Loureiro, filiado ao União Brasil, em 2022. Ficaram em quarto lugar na disputa pelo governo.

 

Nariz de fora

O PSD tenta se firmar como alternativa em meio à polarização entre o PL e o PT. Ocorre que Jorginho Mello, experiente e astuto, tem credenciais para enfrentar alguns “gênios” da política catarinense. A maioria destas mentes brilhantes hoje milita no PSD, evidentemente.

 

Lambendo as feridas

Com a derrota expressiva de Cláudia Bressan, Jorginho sinalizou claramente que Julio Garcia não tem a força da qual costuma se vangloriar nos bastidores.
Apesar de toda a mobilização do deputado e de seus aliados, a derrota na escolha da nova desembargadora foi contundente para Julio Garcia e o PSD local.