Os gastos com publicidade no país somaram R$ 60,7 bilhões no 1º semestre de 2016, uma alta de 1% em relação ao registrado nos seis primeiros meses de 2015, segundo dados divulgados pelo Ibope Media, a partir de pesquisa regular de monitoramento dos investimentos nos principais meios de comunicação e mercados do país. O resultado ficou acima das expectativas se comparado com a projeção do Produto Interno Bruto (PIB) para 2016, que é de 3,3% de decréscimo, segundo o Banco Central. “Ainda que os dados não apresentem crescimento, já começamos a notar sinais de retomada, com indícios de uma tendência ascendente no volume de compra de espaço publicitário a partir de março”, explica Rita Romero, diretora executiva do Monitor. Durante o 1º semestre de 2016, o laboratório mexicano Genomma (do segmento de Higiene Pessoal, Beleza e Farmacêutica) foi o maior anunciante do país, acumulando R$ 1,94 bilhões de investimentos em mídia, uma alta de 8,54% em relação ao ano anterior. A Unilever, que ocupava a terceira posição em 2015, ultrapassou a ViaVarejo, e voltou ao segundo lugar, com investimento de R$ 1,63 bilhão em mídia. Já a ViaVarejo reduziu em 25% seu investimento, para R$ 1,58 bilhão, ante R$ 2,11 bilhão nos seis primeiros meses do ano passado. Na quarta posição, a Caixa investiu R$ 831 milhões – 11% menos que em 2015, quando apareceu em quinto lugar no ranking. Completam o top 10 de maiores anunciantes: Procter e Gamble, Hypermarcas, Ambev, General Motors, Trivago e Telefonica. linha flecha US$ 2,5 bi A Petrobras anunciou na madrugada de ontem que vai vender sua participação de 66% no campo Carcará, no pré-sal na Bacia de Santos, à petroleira norueguesa Statoil, por US$ 2, 5 bilhões. Esta é a primeira venda da estatal de um campo de petróleo no pré-sal e faz parte de seu programa de alienação de ativos para conseguir arrecadar até o fim deste ano US$ 14,4 bilhões, fundamentais para a execução de seu plano de investimentos. linha flecha
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Os mais ricos Jeff Bezos, fundador e presidente da Amazon, tornou-se a terceira pessoa mais rica do mundo pela primeira vez, segundo a revista Forbes, superando Warren Buffett, presidente da Berkshire Hathaway. A fortuna de Bezos está avaliada em US$ 65,3 bilhões, contra os US$ 64,9 bilhões de Buffett. O co-fundador da Microsoft, Bill Gates, continua o mais rico do mundo, com US$ 77,7 bilhões, seguido pelo espanhol Amancio Ortega, fundador da Inditex, dona das lojas Zara, com US$ 72,7 bilhões. O co-fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, permaneceu em quinto, com US$ 54 bilhões. linha flecha A temida lista da Odebrecht: mais de 100 políticos são citados Nas negociações do acordo de delação premiada, executivos da construtora Odebrecht, entre eles o ex-presidente da empresa Marcelo Odebrecht, apontaram mais de cem deputados, senadores e ministros, entre outros políticos, como beneficiários diretos de desvios de dinheiro público, ou como recebedores de outras vantagens, como repasses de verba para suas campanhas, por exemplo. Entre os citados há pelo menos dez governadores e ex-governadores. Entre os citados nas negociações preliminares está o governadores do Rio Luiz Fernando Pezão (PMDB), de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB), e de Minas Gerais Fernando Pimentel (PT). Na lista também constam vários ex-governadores, entre eles Sérgio Cabral (PMDB-RJ).  Os depoimentos dos executivos da Odebrechet começaram ontem. Ao todo serão 15 depoentes.