Hora para tudo – Luiz Carlos Prates

Por: Luiz Carlos Prates

08/06/2023 - 06:06

Não sei se seria bom, mas penso que devíamos nascer com um chip de programação, um chip de “sins” e de “nãos” para a trajetória da vida. Queiramos ou não, tudo tem hora na vida, hora para começar, hora para acabar, hora para chegar, hora para sair, hora para nascer, cruzes, hora para morrer. Aceitemos ou não, esse é o trem da vida. E digo isso, leitora, lembrando que já disse aqui que jogador de futebol, por exemplo, morre duas vezes, morre quando encerra a carreira e morre quando morre mesmo. E por que se diz isso? Porque os jogadores não querem encerrar suas carreiras, e não é por dinheiro que eles não querem, é pelas luzes do palco e pelos desafios repetidos dentro do campo, que pode ser o campo da vida. E todos estamos nesse barco, de um modo ou de outro. Acabo de ler uma declaração do Rafael Nadal, espanhol, um dos mais notáveis tenistas da História. O cara chegou aos 37 anos e o corpo mandou-lhe sinais: – “Rafinha, tá na hora de parar, não dá mais”! Claro que o Nadal não está mordendo os lábios por falta de dinheiro, ele nada num mar de dinheiro. Não é por isso. É por ter que “parar”. Esse parar nos incomoda na vida. Parar de viver com ela ou com ele, parar de ver a mãe ou o pai, falecidos, parar, enfim, para tudo o de que gostamos, por uma razão ou por outra. E nesses casos, mais uma vez, vem à memória a importância dos desapegos na vida… Mas aí eu pergunto, como nos desapegar diante da perda de uma pessoa querida, uma perda que pode ser para a morte ou por outras razões… Muito difícil. Qual a saída? No tempo inteiro da vida, temos hora para tudo, ciclos que são encerrados. Nadal, o tenista, viveu intensamente a “solidão” nas quadras, ele batia na bola, batia e vencia seus desafios esportivos. Mas e nós aqui fora, como vamos bater nas bolas indigestas da vida? Gostaríamos de rebater, mandando longe nossas encrencas, porém… A “bola” voltará modificada ou envenenada por nossas aversões, mas voltará, a bola da vida. Não há saída, não nos apegarmos a nada é impossível e apegarmo-nos pior ainda. Em alguns casos uma doença mental faz bem…

FUTURO

Para fazer filho tem hora? Tem. Uma pessoa depois de certa idade não deve fazer filho, esse filho vai ficar órfão muito cedo. Leio que o ator Al Pacino, de 83 anos, espera pelo quarto filho. Nada contra, não fosse a idade dele. A criança ao nascer vai encontrar o avô, e não o pai… E por quanto tempo? Estou pensando na criança, e não no pai. Nesse caso sou “etarista”. Ué, gente!

PREPOTÊNCIA

Fora da lei não existe prepotência, se alguém se atrever tem que levar ferro, na hora. Matéria também dos meus arquivos… Uma funcionária do Detran, numa entrevista, perguntada quem mais ergue o topete depois de um acidente de trânsito, ela nem piscou para responder: os advogados. – “Eles já descem do carro com a carteira da OAB na mão”… Com os ppoliciais que eu conheço, bah, vão se arrepender, ô, se vão…

FALTA DIZER

Os“influencers” que andam por aí, gritando suas influências, são uns nadas. “Influencer” é o cara que faz muito bem feito um trabalho e fora desse trabalho dá exemplos de boa conduta, tipo Messi, o futebolista, e Guga, o nosso tenista exuberante. O mais é cascata de gente vazia para os mais vazios.