A onda de startups que está tomando conta dos empreendedores do Brasil, seguindo uma tendência norte-americana, chegou também a Jaraguá do Sul. Depois do Startup Weekend, realizado em novembro do ano passado, um grupo está começando na cidade o movimento Startup Jaraguá. A iniciativa independente busca aproximar, incentivar e engajar pessoas com perfil voltado ao empreendedorismo inovador na região. A ideia é promover meetups (encontros) mensais em diversos locais, em ambientes descontraídos e com programação que estimule o networking, o aprendizado, a criatividade e a geração de negócios. A ideia dos meetups vem do Vale do Silício, onde eventos promovem o encontro de pessoas que conversam em pé, facilitando a circulação e a troca de informações. O ambiente é como um happy-hour, entretanto, o diferencial é que pode abrigar o surgimento de ideias e o encontro de futuros parceiros de negócio. “Através destes meetups buscamos desenvolver o ecossistema empresarial e a inovação tecnológica que proporcione o desenvolvimento social e econômico agregando valor aos municípios do Vale do Itapocu”, diz Wilson Rebelo, ex-coordenador do Núcleo de Inovação da Acijs e um dos idealizadores do movimento. O grupo está realizando uma pesquisa para medir o interesse das pessoas e identificar quais são as áreas de atuação com maior potencial na região, direcionando a temática dos eventos. A pesquisa pode ser acessada na página do Facebook: Startup Jaraguá.

* * *

1,27% Foi a variação mensal do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que mede a inflação, em janeiro. É o maior para o mês desde 2003. O acumulado de 12 meses ficou em 10,71%. Alimentação e bebidas, com alta de 2,28%, e transportes, com 1,77%, grupos de maior peso na despesa das famílias, foram responsáveis pela maior parte do resultado.

* * *

R$ 1.055,68 É o custo médio da construção civil por metro quadrado em Santa Catarina, em janeiro. O valor é o terceiro mais caro do país, atrás do Rio de Janeiro e do Acre. O custo nacional ficou em 968,70, aponta o IBGE.

* * *

7,9% Foi a queda na produção industrial em Santa Catarina no ano de 2015, em comparação com o ano anterior, segundo o IBGE. A queda é menor que a registrada no país, de 8,3%.

* * *

victor danichJaraguatec como agente de novas tecnologias Perante ao desafio de desaceleração econômica, deve-se destacar o papel das incubadoras como agentes de desenvolvimento sociocultural na área da inovação tecnológica, propícias a criar novas formas de empreendimentos individuais. Tal iniciativa encontra-se assentada nos indicadores recentes da deterioração do mercado, que pode provocar um grave e intenso processo de desemprego, delineando um cenário complicado para aqueles que ficam excluídos do trabalho formal. O surgimento de importantes projetos alternativos como reação à intensificação do desemprego estrutural – iniciativas como os habitats de incubação – aparecem como um meio para utilizar os conhecimentos da universidade para a formação, qualificação e assessoria de empreendedores na modelagem de seus próprios negócios, visando sua inclusão num mercado de trabalho cada dia mais sofisticado do ponto de vista tecnológico. Esta conceituação parte do princípio de que a universidade, quando responsável pela manutenção e execução de um projeto econômico que incorpora um processo de geração de trabalho e renda, como é o caso do JaraguaTec, termina configurando-se como um processo ligado à extensão universitária, responsável pela sua contribuição acadêmica. É justamente nesse âmbito que se desenvolvem as atividades operacionais de incubação, que promovem a interrelação com uma população de potenciais empreendedores, interessados na inserção desse tipo de organização do trabalho, principalmente aquele ligado ao conhecimento tecnológico. O público alvo está centrado numa população que não é mercado, principalmente porque não existe resposta financeira para um processo que no fundo é educacional. Em todo caso, num segundo momento poderiamvir a ser o mercado, o que está contemplado quando os empreendedores constituem suas próprias empresas, graduadas e fora do âmbito da incubadora. Alguns segmentos da sociedade desconhecem a importância dessa perspectiva funcional, considerando a iniciativa como uma mera alternativa assistencialista. No entanto, o papel fundamental das incubadoras é propiciar novos mecanismos de inserção produtiva, transformando-se no próprio eixo do conhecimento, no sentido de ser o espaço avançado para o fomento de processos inovadores. O papel do JaraguaTec é fortalecer a pesquisa de campo e acadêmica, consolidando um modelo de gestão assentado na legitimidade do conhecimento, além de propiciar a criação de processos e produtos inovadores, de modo a inserir a comunidade em atividades empreendedoras no segmento de novas tecnologias.