Folhas e selos – Luiz Carlos Prates

Por: Luiz Carlos Prates

01/12/2023 - 06:12 - Atualizada em: 29/11/2023 - 14:17

Sim, concordo, título estranho, folhas e selos… Tudo se explica na vida. Já vou explicar de onde surgiu esse título. Surgiu de duas pessoas, bem distantes uma da outra. A primeira é uma mulher, sempre fui vidrado nela, sempre. E para não alongar a espera ou a curiosidade, passo-lhe o nome dela: Regina Duarte. Dia destes, ia passando os olhos sobre os títulos das notícias e parei chocado. Ué, o que significa isso? A manchete dizia que a Regina andava pelas ruas catando papelão e latinhas, tinha virado uma “papeleira”. Fui direto à notícia. Sim, Regina virara papeleira por uma razão muito especial, Regina estava entrando na arte que até então lhe estava adormecida: fazer quadros, arte popular a partir de folhas caídas, folhas de árvores. E os papelões faziam parte das molduras da arte que ela está fazendo. Mas por que essa “loucura” se a atriz é rica, bem rica? Ela mesma disse numa entrevista que precisa de um propósito na vida, que a vida dela depois das novelas, da televisão, estava muito vazia. Beijos, Re! É o que vivo dizendo, precisamos ter um propósito na vida, tenhamos o dinheiro que tivermos e tenhamos a idade que for, sempre é preciso um propósito. A outra figura que de que fiz menção ao início desta conversa é o americano A. J. Hoge, um emérito professor de inglês. Ouço esse sujeito quase diariamente. Na conversa de ontem ele falava de termos energia para fazer as coisas e não desistir, como estudar inglês, por exemplo. E ele falava da energia de que precisamos, essa energia tem um nome: propósito. Pobres, infelizes dos que não têm um propósito na vida. E o americano dizia, rindo: – “Colecione selos, se for o caso, mas tenha um propósito”. Acabou o tempo de colecionar selos, não há mais selos, há carimbos, e ninguém mais escreve cartas. Mas entendi a mensagem. É isso, se não tivermos algo que nos tire da cama energizados, seja com a “bobagem” que for, vamos andar correndo atrás dos ventos da vida. Ah, e tem uma coisa. Esse propósito, esse motivo por que lutar, tem que ser construído cedo, fica muito difícil achar a porta de saída das encrencas da vida quando a velhice está de plantão nessa porta… Quem luta por uma causa não envelhece.

TEMPOS

Os tempos não passam no Brasil. Carlos Lacerda (1914/1977) foi um tonitruante político brasileiro, chegou ao governo do Estado da Guanabara, hoje Rio de Janeiro. Quando governador, Lacerda disse, num discurso inesquecível, que – “A impunidade gera a audácia dos maus”. Nada mudou de lá para cá, pelo contrário, ficou pior. Vagabundos safados, muitíssimos bem-vestidos e com poderes de autoridades pintam e bordam. Impunes. Mas o que é deles está guardado, ô, se está! Safados têm que ser “ferrados”…

FRASE

Gosto de frases, vivo dizendo isso, esta foi dita por Woddy Allen, ator, produtor, humorista americano. Allen disse que “A idade não nos torna mais sábios, nem mais tranquilos nem mais maduros. Ela simplesmente nos envelhece”! Aplausos! O que mais vejo por aí são velhos fora da casinha, bobões querendo respeito sem se fazer respeitar, toscos mesmo, mas posando de bacanas, muitos até de “autoridades”. “Amadureçam”, trouxas!

FALTA DIZER

Da minha caixa de frases, tirei, no escuro, esta: – “Amigo é aquele com quem se pode pensar em voz alta”! – Ah, é? Então, vou agora falar com um amigo que é um baita amigão, ouve, ouve e não diz nada, sacode o rabinho em silêncio. O meu cachorro… Confiável