O presidente da Fiesc, Mario Cezar de Aguiar, abriu a reunião que apresentou a Agenda Estratégica da Indústria para Infraestrutura de Transporte e a Logística Catarinense 2022 com uma cobrança: a criação de um banco de projetos intermodais que possam atender às demandas da produção do estado, minimizar os custos operacionais e garantir mais competitividade, sobretudo no comércio internacional. O evento, realizado na tarde desta segunda-feira (6), em Florianópolis apresentou uma radiografia das necessidades catarinenses. Pelo documento, o estado demanda R$ 18,5 bilhões até 2025 para manter e ampliar a infraestrutura de transporte nos modais rodoviário (R$ 14,4 bilhões), ferroviário (R$ 928,7 milhões), aeroviário (R$ 1,28 bilhão), dutoviário (R$ 400 milhões) e aquaviário (R$ 1,5 bilhão). Dos R$ 18,5 bilhões, R$ 5,6 bilhões são relativos a investimentos federais, R$ 4 bilhões estaduais, R$ 200 milhões municipais e R$ 8,7 bilhões privados.

“Santa Catarina precisa de um banco de projetos para atrair investimentos privados, entendemos que pelas restrições fiscais do país o governo não tem como fazer todos os investimentos necessários”, disse Aguiar. O presidente da Fiesc repercutiu a informação passada com exclusividade à coluna pelo deputado Moacir Sopelsa (MDB), na entrevista publicada no final de semana, da existência de projeto de ferrovia ligando Chapecó a Ponta Grossa (PR), que levaria o escoamento da produção catarinense para o Porto de Paranaguá.

“Nós entendemos que é importante trazer o milho para o nosso agronegócio, mas é importante escoar pelo nosso estado, já que temos portos extremamente eficientes. Somos o segundo estado em movimentação de container do Brasil. Precisamos continuar a ser atendidos pelos nossos portos e me parece que essa ferrovia vai fazer exatamente o contrário. Vai levar a nossa carga produzida no Oeste para o Porto de Paranaguá, lembrando que, cada contêiner movimentado, independente da carga, gera na economia mais de 1 dólar por contêiner ”, destacou.

 

 

Reunida em Florianópolis, a executiva estadual do MDB decidiu pela manutenção das prévias para fevereiro | Foto Divulgação/MDB

MDB mantém prévias

Em reunião da executiva estadual do MDB, nesta segunda-feira (6), em Florianópolis, os líderes da sigla decidiram manter as prévias agendadas para 19 de fevereiro. Caso os três pré-candidatos do partido ao governo do estado nas eleições do próximo ano, o deputado federal e presidente estadual, Celso Maldaner; o senador Dário Berger e o prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, cheguem ao entendimento, as prévias serão canceladas. Durante a reunião também foi apresentado o mapa das candidaturas da sigla a deputado estadual e federal, bem como o projeto de mobilização partidária com eventos previstos a partir de 22 de janeiro.

Lages

Com a presença do governador Carlos Moisés (sem partido) e do prefeito Antônio Ceron (PL), Lages reabriu neste sábado (4) o Mercado Público totalmente revitalizado, após 12 anos fechado. O prédio histórico, que recebeu investimentos de R$ 8 milhões do governo do estado, possui 3,6 mil metros quadrados de área construída, com uma praça de alimentação, um auditório e palco para apresentações artísticas e culturais além de 40 boxes comerciais, onde serão vendidos produtos coloniais e regionais, além de uma peixaria e um açougue.

Sul de SC

O deputado federal Hélio Costa (Republicano) foi conferir, ao lado do prefeito Franqui Salvaro, as obras de pavimentação da Rua 5, no Bairro Rio Fiorita, em Siderópolis, onde destinou cerca de R$ 238 mil em emendas. Em Içara, na companhia da prefeita Dalvania Cardoso, o parlamentar destinou mais de R$ 750 mil em emendas para a saúde e para aquisição de um veículo do Corpo de Bombeiros Militar. Hélio Costa conheceu ainda o projeto Farmácia Solidária que atende cerca de 100 pessoas por semana na rodoviária de Içara com remédios doados de graça.

Chapecó

Chapecó está ainda mais voltada à tecnologia com o novo Centro de Inovação, o CIAD Downtown. Parceria da Deatec (Associação Polo Tecnológico do Oeste Catarinense) com a Acate (Associação Catarinense de Tecnologia), a iniciativa busca expandir a cultura inovadora e de empreendedorismo, fortalecendo o ecossistema catarinense. O local possui 15 mil metros quadrados, com espaço para 50 pessoas. A inauguração será aberta ao público e ocorrerá nesta quarta-feira (8), às 19h30, junto à Eleição Empresário Destaque em Tecnologia 2021.

Videira

A história da BRF, uma das maiores companhias de alimentos do mundo, será um dos
destaques do livro “Videira: uma trajetória em construção”, da escritora Angela Zatta,
autora dos livros “Mães de Videira”. O objetivo da obra é resgatar e registrar a história
da cidade - onde nasceu a Perdigão, hoje BRF -, das pessoas e das instituições que a construíram ao longo destes 75 anos de fundação. A escritora trará uma perspectiva histórico-geográfica, desenvolvida a partir de uma pesquisa de cerca de três anos sobre o município e a região do Contestado.