Em quais situações deve-se usar a palavra “bastante” no plural?

Por: OCP News Jaraguá do Sul

16/04/2016 - 04:04

A palavra “bastante” pode funcionar como adjetivo ou advérbio. Quando adjetivo, admite flexão de número e concorda com o nome a que se refere. Nesse caso, pode ser substituída por muitos(as) ou por suficientes. Quando advérbio, o termo não deve ser flexionado. Como dica prática, nesse caso, ele pode ser substituído por muito (singular).

• Elas falam bastante. (falam muito)

• Bastantes pessoas compareceram à reunião. (muitas pessoas)

• Não há provas bastantes para condenar o réu. (provas suficientes)

• Elas são bastante simpáticas. (Elas são muito simpáticas)

• Havia bastantes razões para ele comparecer. (muitas razões)

Qual é a diferença entre “senão” e “se não”?

Escreve-se “senão” quando a palavra assume as seguintes funções:

1) De conjunção alternativa, podendo ser substituída por “caso contrário” .

2) De conjunção adversativa, sendo possível trocá-la por “mas” .

3) De preposição, tendo o mesmo significado de “com exceção de” ou “exceto” .

4) E de substantivo masculino, significando “falha” ou “defeito”.

• Já o “se não” só deve ser usado quando o “se” é uma conjunção condicional (substituível por “caso”) ou integrante (podendo ser trocada, com a oração que ela introduz, por “isso”, “isto” ou “aquilo”).

Veja alguns exemplos

• Devemos trabalhar, senão [caso contrário] o contrato será cancelado.

• Minha namorada é quase perfeita. Ela só tem um senão [defeito].

• Se não chover [caso não chova], irei encontrar meus amigos.

• A quem, senão [exceto] a ele, devo fazer referência durante a palestra?

• Vencemos a partida de futebol não por sorte, senão [mas] por competência.

Perguntei se não iriam chegar atrasados [perguntei isso].