Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
O impacto da educação na produtividade e no desenvolvimento econômico do País está no centro dos debates que serão promovidos hoje, na Jornada Inovação e Competitividade da Indústria Catarinense. A partir das 13h30, o senador Cristovam Buarque, o articulista do Valor Econômico, Naércio Menezes Filho, e o diretor de educação e tecnologia da CNI, Rafael Lucchesi participam do ciclo de palestras sobre educação. O evento é promovido pela FIESC e aborda também os temas qualidade de vida, inovação e ambiente institucional. A programação segue até 20 de maio. Além de apresentar as boas práticas educacionais das empresas ZEN, indústria metalúrgica de Brusque, e BN Papéis, de Benedito Novo, a Jornada contemplará programação paralela com a realização de workshop com lideranças educacionais sobre gestão por resultados na educação. O encontro será conduzido pelo consultor do Movimento Santa Catarina pela Educação, Mozart Ramos, e retratará experiências catarinenses e do Estado de Pernambuco. Na Jornada, a FIESC lança ainda a segunda edição do Prêmio Santa Catarina pela Educação. Este ano, poderão participar os diversos setores econômicos que integram o Movimento. O prêmio também passa a agregar a categoria estágio. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no site www.scpelaeducacao.com.br a partir do dia 18 de maio até 18 de julho.  

* * *

Confiança na indústria sobe em maio A confiança do industrial catarinense na economia subiu 3,9 pontos em maio, atingindo 41,4 pontos. Embora tenha melhorado, o índice segue abaixo da linha de 50 pontos, que indica pessimismo. O indicador também está 12 pontos abaixo da média histórica, com série iniciada em julho de 1999. As informações integram pesquisa divulgada ontem pela Federação das Indústrias de Santa Catarina (FIESC). Segundo o levantamento, as condições atuais da economia tiveram melhora modesta na avaliação, passando de 30,2 para 31,9 pontos. Já as expectativas para os próximos meses subiram para 46,2 pontos contra 41,2 em abril. Os industriais continuam apontando a elevada carga tributária e os juros altos como fatores muito prejudiciais. Estoques elevados, baixa demanda e alto preço das matérias primas foram outros problemas citados.  O levantamento foi realizado entre os dias 2 e 12 de maio. Participaram 210 indústrias de Santa Catarina, dos segmentos de transformação e construção civil.

* * *

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Sugestão de pórtico em acrílico da Santa Clara Na entrada do parque fabril da Santa Clara, a empresa demonstra suas instalações e expõe uma amostra do seu principal produto. O pórtico é um dos mais modernos e diferenciados do país, com 400m², feito totalmente em chapas acrílicas, moldadas no formato de gomos. A peça é o cartão de visitas da empresa. Foi desenvolvida em acrílico, um material polivalente e que permite inúmeras possibilidades no seu manuseio e moldagem. Além da versatilidade, questões de ordem prática deixam o acrílico mais atraente: a proteção contra os raios UV, o fato de ser 10 vezes mais resistente que o vidro e de oferecer maior segurança durante as intempéries.

LEIA A COLUNA COMPLETA NA VERSÃO DIGITAL DO JORNAL O CORREIO DO POVO