DOR, O ESTOPIM DA INOVAÇÃO

foto: divulgação

Por: Coluna Novale

31/01/2024 - 14:01

Por Marco Antonio Murara
Head de Incubação no Novale Hub

Necessidades humanas mal atendidas ou não atendidas dão origem a uma oportunidade, que no idioma da inovação é chamada de dor.

Empresas devem nascer para oferecer produtos ou serviços direcionados a resolver dores que atacam pessoas. Empresas nascem porque as pessoas tem fome, sede, frio, calor, porque precisam aumentar a autoestima, se sentir seguras, melhorar a condição profissional ou a qualidade de vida. É por isso que existem restaurantes, fábricas de cerveja, roupas, condicionadores de ar, cosméticos, câmeras de vigilância e faculdades. Se não há dor, não há necessidade e não há empresa. Ninguém vai contratar a sua empresa para solucionar algo que não é uma dor.

Focar somente na dor ou na sua experiência pessoal pode restringir a criatividade. A dor precisa ser validada. Quantas pessoas sofrem da mesma dor? Existem outros serviços ou produtos que a resolvem? As pessoas aceitam pagar por uma solução? É preciso desafiar suposições e avaliar os recursos disponíveis.

Como não faltam problemas, ou dores, do mundo, há todo instante surge uma pessoa com uma ideia inovadora para resolver uma possível dor. Se você observar ao seu redor, em todas as atividades profissionais ou até domésticas há algo que pode ser melhorado, ser feito de maneira mais rápida ou barata. Se você consegue olhar para os problemas e dificuldades e observar possíveis soluções, você tem visão empreendedora.

Cuidado! Possuir somente a visão empreendedora não faz de você alguém preparado para empreender.

Apenas curar uma dor não vai garantir escala e sucesso. A maioria das pessoas pensa em soluções óbvias ou o caminho mais fácil para resolver seus problemas. Pensam de maneira restrita. Os que “pensam fora da caixinha” obtém destaque pela criatividade ou refinamento como pensam na solução da dor. Não se apaixone pela sua ideia de negócio, apaixone-se pela dor.

Acreditar que a sua solução é a única resposta para um problema, é um erro clássico de empreendedores ligados a inovação. Pessoas diferentes visualizam soluções diferentes para uma mesma dor.

Exercite a sua capacidade de ver dores e de solucioná-las de forma inovadora. Identifique dores cotidianas ou atividades que podem ser feitas de forma melhor, mais rápida ou mais barata. Quem sabe você não inicia sua startup.

 

Patrocínio: