Bom dia, você que é a consultora de nomes para bebês? - Sim, mamãe, eu mesma. Em que posso lhe ajudar? - Queria uma opinião. Meu menino vai nascer no mês que vem... - E ainda não decidiu o nome. - Não, não. Já escolhi um. Mas, meu marido não gosta muito. - Que nome a mamãe escolheu? - Vinícius. - Hummmm. Que rica. - Rica? Como assim? Vinícius é nome de gente rica? - Não, mãe. Pra colocar o nome de Vinícius no filho, tem que ser rico. Tem muita letra no nome. Veja só: Vi-ní-ci-us. Oito letras, um absurdo! Tá esbanjando vocabulário. Diga-me: quando o bebê nascer, a mãe não quer ganhar do papai um colarzinho de ouro com o nomezinho do filhinho? - Ah... Gostaria, né... - E quanto você acha vai custar. Custa o dobro de João, Luís, José, Jair. As letras, né querida. O colar depende da qualidade, rará. - Não é bem assim, senhora. - Claro que é! E quando fizer a festinha de um aninho, pra dar inveja nas amigas? Vai fazer painel com o nome da criança? Lembrancinha? Corte a laser em MDF? A maioria dessas coisas paga pelo tamanho, por letra. Não, não. Um absurdo de caro. E pra ele aprender a falar o próprio nome? Vai conseguir fazer isso direito com quase cinco anos! Sem contar escrever. Além de ser um dos últimos da chamada da escola. - Ah, mas daí a gente chama de Vini. - Sim, mãe. Dá um nome de rico e depois quer deixar genérico. Me poupe, né! Se você chamar o menino de Vini, tomara que suas primeiras palavras sejam: “Mexe a cadeira e perde a vergonha na cara.” - Hã? - Da música! Do Vinny! Não lembra? Olha, já considerou um nome tipo... Ian? - Ian? - Sim. Simples, bonito, pode ser com til e duas letras: I-Ã. Não, não... Pra conta do Gmail precisa de três caracteres, no mínimo. Tem que ser com N, mesmo. Iannnnn. Vai ser até mais fácil pra quando ele começar a falar. Qualquer barulho vai parecer que ele falou o nome dele, rará. - Sei lá... Ian me parece tão... - Moderno? Também acho. - Não... Meio insosso. - Ah, sim. Lindo é Vinícius. - Eu acho. Quer saber, muito obrigada pela atenção. Acho que vamos ficar com Vinícius, mesmo. - Não acho uma opinião sensata. Pense bem. De qualquer maneira, tá aqui o meu cartão. - Tá, mas não é necessário. Já me decidi. - Ok. Tomara que você seja daquelas mães bem bobas e queira tatuar o nome do filho num lugar bem dolorido e, quando chegar na segunda letra, eu vou aparecer na sua cabeça dizendo: “Viu? Se tivesse escolhido Ian, já estaria quase acabando.” - Você é meio maluca! - Ah, e tomara que a tatuagem fique torta! Por que o nome é longo, tem grandes chances. Esses leigos. Aí reclama da crise! Quer nome de rico...