Bruxas e bruxos – Luiz Carlos Prates

Por: Luiz Carlos Prates

31/10/2023 - 06:10

Parece que foi ontem, mas faz tempo. Eu estava no segundo ano de Psicologia na PUC/RS quando fiz essa “pesquisa”. Estávamos na hora do “recreio” e entre uma piadinha e outra fiz a proposta aos colegas, éramos uns seis ou sete, “guris e gurias”. Pedi a eles que me descrevessem uma bruxa. A resposta foi unânime, inesquecível. Todos disseram que bruxa era uma mulher, feia e má. Alguns acrescentaram “velha”. Então, leitora, veja bem, a bruxa é sempre uma mulher, feia e má. Esqueci de perguntar aos colegas sobre o “bruxo”, como descreveriam um bruxo. Infeliz esquecimento. Mas hoje eu não preciso mais que me deem a resposta, o bruxo é chamado de mago, sábio, virtuoso e capaz de fazer milagres. A bruxa é mulher, feia, maldosa, envenena e mata; já o bruxo é um cara legal. E nessa brincadeira nada inocente as pessoas vão alicerçando as misoginias, os menosprezos às mulheres e assim vão indo… O diacho é que há muitas mulheres nesse grupo idiota e que não batem na mesa em defesa delas mesmas. É aquela velha história, brincando, brincando o diabo empurrou a mãe dele de cima da ponte. Brincando. O Dia das Bruxas, o Halloween Party dos americanos, é uma brincadeira de crianças, mas assentada sobre bruxas. E bruxas, repito, são mulheres muito feias e maldosas. Esse tipo de “brincadeira” tem que ser tratado em casa, pelos papais e pelas mamães. – Ah, os papais e mamães não têm tempo para perder com essas bobagens! E como é que eles têm tempo para outras coisas, coisas de fazer corar o sacristão? Hipócritas. Que as escolas não sejam mais estúpidas e que não celebrem festa de bruxas. Ou que, então, também celebrem festas dos “broxas”. Não relevo, não vejo como brincadeira o que é sério. Ah, é bom não esquecer que nos tempos da Inquisição, aquela solerte perseguição de religiosos safados, as mulheres inteligentes, sagazes, iam para a fogueira. Elas eram “hereges”, bruxas, diziam os safados religiosos farsantes. Mudou de lá para cá? Mudou uma ova, as mulheres são minorias constrangedoras nos ofícios das igrejas ou nem isso… E são elas que mantêm as igrejas. Chega de brincadeiras estúpidas, chega de dia das bruxas.

BRUXINHO

Veja bem, Harry Potter, história mundial e famosa, é um menino que se descobre bruxo, bruxinho. Um menino formidável, luta contra o mal, enfrenta desafios, Harry Potter é o cara e… É homem. E se fosse uma Mary Potter? Seria uma bruxa. E seria uma bruxa legal, boazinha? A história não fecharia, afinal, bruxas são sempre más, já os homens quando são bruxos são chamados de magos, caras legais, valerosos, isso mesmo, valerosos. Não aguento, mais a hipocrisia, vou tomar um chimarrão…

VERGONHA

Acabei de ver um novo despudor. Mulher jovem, cheia de preenchimentos pelos seios, fazendo caras e bocas e dizendo, sem pudor, numa postagem, que já fez sexo por 14 horas sem parar num mesmo dia. Nem a mais profissional das profissionais do sexo vai conseguir fazer isso, mas a “moça” da postagem quer passar a ideia de que ela um fogareiro. Diga, da próxima vez, que ontem ficaste lendo por 14 minutos, vais bater o teu recorde e com pudor, néscia.

FALTA DIZER

Essa história de que o mundo mudou, cuidado, é melhor abrir os olhos, os olhos da sensibilidade, da inteligência. Esta semana vi uma “famosa” e muito veterana apresentadora de televisão falando naturalmente em seu programa sobre “vibradores”, esses “brinquedos” que idiotas inventaram e outras usam… Credo, que nojo dessa gente! Off…