Beneficiado pelo cenário internacional e pela expectativa da votação da reforma da Previdência em segundo turno no Senado na manhã de terça (22), o índice Ibovespa, da B3 (antiga Bolsa de Valores de São Paulo), encerrou a segunda-feira (21) com novo recorde.

O indicador fechou o dia aos 106.022 pontos, com alta de 1,23%. Durante a manhã de ontem, o indicador seguia em alta, registrando 106.356,64 pontos (alta de 0,32%) às 10h40.

O recorde anterior havia sido registrado em 10 de julho, quando o Ibovespa tinha fechado aos 105.817 pontos. Na sessão, a bolsa subiu impulsionada por alívio na tensão comercial entre Estados Unidos e China, com a expectativa de juros mais baixos no Brasil no fim do ano e a votação da reforma da Previdência.

No entanto, enquanto o indicador acionário segue em alta, o restante dos indicadores econômicos, especialmente de crescimento do PIB, seguem fracos, apostando em uma promessa de retomada da economia em 2020 - padrão que tem se repetido historicamente, com promessas de que o próximo ano será a retomada. O eterno país do futuro que nunca chega.

Para crianças

O Núcleo de Dirigentes Lojistas da Barra, ligado à CDL Jaraguá do Sul, promoveu no último sábado, um evento especial em clima de mês das crianças. A iniciativa garantiu diversão para o público infantil e também diversos serviços aos adultos.

A ação, que teve acesso livre e gratuito, ainda contou com apresentações diversas, passeio de bondinho e feira de adoção de animais. A programação reuniu centenas de pessoas no bairro Barra do Rio Cerro.

Petrobras nega responsabilidade

A Petrobras informou na segunda-feira (21) que coletou 280 toneladas de resíduos oleosos (mistura de óleo e areia) desde o dia 12 de setembro, quando iniciou as atividades de apoio permanente ao Ibama para limpeza das praias do Nordeste atingidas por óleo ainda de origem desconhecida.

Em nota, a companhia reforça seu compromisso com a proteção do meio ambiente e reafirma que o óleo nas praias do Nordeste não tem origem nas operações da companhia.

Impostos sobre apps

O governo federal estuda maneiras de formalizar e cobrar impostos de trabalhadores que hoje atuam como prestadores de serviços a aplicativos como Uber, 99, Cabify e outras plataformas que conectam empresas e consumidores, como a GetNinjas, segundo o portal Valor Investe.

Além de motoristas e entregadores, web designers e profissionais dos ramos de beleza, assistência técnica, consultoria, eventos e serviços domésticos, entre outros, também estão no foco da medida.

Confiança em queda

A pesquisa prévia da Sondagem da Indústria, realizada pela Fundação Getúlio Vargas, para outubro aponta um recuo no Índice de Confiança, causado pela piora nas percepções sobre o cenário atual e sobre as expectativas.

Os dados foram divulgados hoje (22), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV), a partir de uma consulta com 790 empresas, entre os dias 1º e 18 deste mês. O resultado final da sondagem será publicado no dia 29.

Gás sobe

O gás de cozinha residencial (GLP) aumentará 5% nas distribuidoras e o GLP industrial e comercial 3%, a partir da meia-noite desta terça-feira (22). O anúncio foi feito pelo Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito de Petróleo (Sindigás) em nota à imprensa e confirmado pela Petrobras.

 

 

Receba as notícias do OCP no seu aplicativo de mensagens favorito:

WhatsApp

Telegram

Facebook Messenger