Amamentar é algo instintivo. Alguns vídeos circulam no qual o bebê procura pelo peito materno em busca de alimento e aconchego. Mesmo sendo natural, nem sempre é tão simples quanto se espera. Muitos problemas podem acontecer no processo da amamentação e eles precisam ser tratados da maneira correta. Se a mãe não receber a informação adequada pode resultar no desmame precoce e prejudicar a saúde do bebê. Abaixo estão listados os problemas mais comuns do aleitamento materno, que sem orientação adequada levam ao desmame precoce: leite-materno Fissura ou rachadura - ocorre principalmente pela pega incorreta do peito da mãe. Normalmente os bebês acabam pegando apenas o bico do peito, enquanto deveriam pegar a auréola, para fazer o movimento de sucção adequado. Tenha consciência de que o bebê precisa aprender a mamar, se você percebeu que o bebê pegou apenas o bico do peito, com o dedo mindinho, pelo cantinho da boca dele, retire ele do peito e reposicione. Faça isso algumas vezes e ele vai aprender a pegar corretamente. Outro fator que pode contribuir para o surgimento das rachaduras é o peito umedecido com o leite materno secar em contato com o sutiã. Melhor é esperar que o leite seque naturalmente para depois colocar o sutiã ou um absorvente de amamentação.Se você já tem rachaduras, o que pode fazer é expor as mamas ao sol por uns 15 minutos. O sol vai ajudar a pele a cicatrizar e a tornar mais forte. Ingurgitamento – ocorre quando a mãe produz mais leite do que o bebê consegue mamar. As mamas ficam endurecidas e parecem empedradas. A melhor solução para evitar esse tipo de situação é oferecer o peito várias vezes para o bebê e deixar que ele esvazie bem a mama antes de oferecer a outra. O leite “gordo” fica mais no final. Se permanecer ainda muito cheio, você pode fazer a retirada manual do leite materno. Quem sabe possa até conversar com as enfermeiras do Banco de Leite para doar. Mastite – pode-se dizer que a mastite é uma complicação do ingurgitamento mamário. Pois se o ingurgitamento não for resolvido pode se transformar em uma mastite, que é quando um dos seios inflama. A mama fica cheia, avermelhada, quente e muito dolorida. A mãe sente febre e calafrios. Para resolver a mastite é preciso retirar o excesso de leite manualmente. A mãe vai sentir dores nesse processo, mas é necessário fazer a ordenha manual para que o leite retido seja extraído do peito. Se a mãe não melhorar em 24h, deve procurar o serviço de saúde para que seja tratada. O leite está “secando” – Isso pode acontecer quando o bebê não é apenas alimentado por leite materno e introduz mamadeira e chupeta. Para que a produção de leite aumente, a melhor maneira é oferecendo o leite materno em livre demanda. Quanto mais o bebê mamar, mais leite será produzido. A amamentação até o sexto mês do bebê deve ser exclusiva, pois é o único alimento que poderá suprir suas necessidades de nutrientes e amor. Eu já tive mastite e ingurgitamento mamário, e quem me ajudou muito foi o banco de leite. As enfermeiras estão acostumadas com essas situações e estão prontas a nos ajudar a superar esse obstáculo para uma amamentação tranquila. E você já passou por isso também? Envie um e-mail me contando como foi sua experiência com a amamentação: karin@mamaeecia.com.br