Agenda política – Claudio Prisco Paraíso

Tempo nublado - Cláudio Prisco Paraíso

Por: Claudio Prisco Paraíso

27/10/2023 - 06:10

Jorginho Mello retorna no domingo de sua viagem ao Panamá e no mesmo dia reassume o governo de Santa Catarina. A partir da próxima segunda-feira, 30, o governador estabelecerá uma agenda estratégica político-eleitoral.

A semana não terminará sem uma reunião entre o chefe do Executivo e a bancada estadual do PL, composta por 11 deputados. O mês de novembro tem tudo para ser promissor, pródigo em articulações com vistas às eleições do próximo ano.

A começar pelos municípios de grande porte. Os 15 principais serão o foco neste momento em que o governador tirará um tempo para as articulações eleitorais. A disposição de Jorginho é ultimar entendimentos. Internamente no PL, por ele presidido, mas também avançando em conversas para coligações visando o pleito municipal de 2024.

 

Tripé

Evidentemente que as três maiores cidades, onde há segundo turno, estarão no centro das avaliações. Em Joinville, Florianópolis e Blumenau, o governador terá que costurar para que o PL não vire apenas um coadjuvante.

 

Dupla

Afinal de contas, nas duas maiores, os atuais prefeitos são candidatos naturais à reeleição. E favoritos. Adriano Silva, do Novo, em Joinville; e Topázio Neto, PSD, na Capital.

 

Loura

Já em Blumenau o quadro é diferente. O prefeito Mário Hildebrandt, que está saindo do Podemos e deve assinar ficha no PL, não poderá concorrer novamente.

 

Composição

Nas duas primeiras cidades, o governador avalia a possibilidade de indicar o vice. Em Florianópolis, fala-se até no nome de seu primogênito, Bruno Mello, para compor com Topázio.

 

Repeteco

Em Joinville Adriano Silva deseja repetir a dobradinha com a atual vice-prefeita, também do Novo. Muito provavelmente isso levará o PL a lançar candidato. Ou buscará uma composição com Rodrigo Coelho, ex-vice-prefeito e ex-deputado federal.

 

Linha

O PL tem nome na maior cidade do estado. O deputado Sargento Lima, que tem o respaldo de seus pares. Já registramos aqui que lideranças com perfil segmentado, classista, têm dificuldades extras numa eleição municipal.

 

Combativo

Mas é importante salientar que o deputado Sargento Lima foi reeleito e faz um belíssimo segundo mandato. Tem postura, embocadura, posições claras, firmes e corajosas.

 

Franco atirado

O PL não tem nada a perder em Joinville. E nem em Florianópolis. Se o partido lançar candidato nas duas cidades, a sigla poderá forçar o segundo turno nas duas.

 

Vale

Em Blumenau, a realidade é outra. O PL pode conquistar a prefeitura na medida em que tenha no mesmo palanque, além do prefeito, do próprio governador, do senador Esperidião Amin, sempre muito benquisto na Vale do Itajaí, território essencialmente bolsonarista, é uma aposta com viabilidade. O PT não tem a menor chance em Blumenau. Ali, há o nome de Odair Tramontin, do Novo, que passou a ser uma grande incógnita.