A beleza está nos lábios das mulheres

Colunistas

Por: OCP News Jaraguá do Sul

sexta-feira, 04:00 - 18/03/2016

OCP News Jaraguá do Sul
Quando se ouve a respeito da Etiópia, logo pensamos naquelas imagens de crianças famintas durante uma guerra civil nos anos de 1980. A Etiópia é um lugar interessantíssimo. É o único país no continente africano a não sofrer colonização, possui um idioma único, o aramaico (falado nos tempos de Jesus Cristo). É da Etiópia a origem do café (ainda hoje o café antes de ser bebido, diariamente, é torrado em porções dentro de um tipo de frigideira, constituindo um ritual). É também da Etiópia a “religião” Rastafari. O imperador Haile Selassie que reinou o país até 1974 é considerado o pai dos rastafaris. O escritor polones Ryszard Kapuscinski escreveu um impactante livro que se chama “O Imperador”, sobre a vida do ditador etíope. A Etiópia é um país habitado por uma incrível diversidade de etnias. Fato esse, devido a sua posição geográfica. Como o continente africano, ao longo dos tempos, em constante conflito entre etnías, e a Etiópia fazendo fronteira com uma série de países, serviu de um porto seguro para muitas tribos que deixaram seus territórios de origem por causa desses conflitos. Muitas permaneceram, entre elas a tribo Mursi. DSC06981 Guerreiros, os Mursi têm uma reputação de ser uma das tribos africanas mais agressivas. Sua “marca registrada” é o lábio inferior das mulheres cortado. O lábio inferior de uma moça é cortado por sua mãe ou por outra mulher de sua família, quando ela atinge a idade de 15 ou 16 anos. O corte é mantido aberto por um tampão de madeira até a ferida sarar. A borda é esticada através da inserção de tampões progressivamente maiores ao longo de um período de vários meses. Algumas moças conseguem manter nos seus lábios tampões de 12 centímetros de diâmetro. Alega-se que o tamanho da placa de lábio está correlacionada com o tamanho do dote de uma mulher no casamento – é considerado que essa mulher tem maior potencial reprodutivo. Quanto maior o diâmetro do tampão que ela carrega entre seus lábios, maior o dote pago na hora de se casar. Outra ideia a respeito é que o alongamento do lábio inferior originou-se para tornar as mulheres menos atraentes para os traficantes de escravos. Mas este fato do alongamento dos lábios inferiores ignora uma explicação histórica, não limitando nem à mulher nem à África. Entre os índios Kayapós, do Brasil, os homens mais velhos usam também no lábio inferior um disco similar de cerca de seis centímetros de diâmetro.
×