Recentemente tive a oportunidade de conhecer Maringá, no Paraná. Cidade de 400 mil habitantes e a terceira maior do Estado, após Curitiba e Londrina. Lugar de fortes ventos em épocas de temporais. Algo notável em espaçadores colocados entre os fios de energia elétrica em toda a cidade. Há muito já ouvia de sua fama por ser considerada uma das cidades mais arborizados e limpas do país. Localizada numa região de horizonte infinito, cercada por plantações, - soja predominando, fiquei impressionado com suas ruas arborizadas e parques. Em muitas ruas tem-se a sensação de estar num túnel, formado por árvores. O verde está presente em todas as partes, parece fazer parte das pessoas. Não vi restaurante, bar, loja que não estava repleto de vasos com flores ou arbustos. Num shopping center, um enorme jardim interno. Na rodoviária não era diferente. Plantas para todos os cantos. Dois parques de mata nativa estão no centro da cidade. Repletos de pássaros e animais. Para percorrer ao redor de cada um são necessários três mil metros. Todos nós sabemos que as árvores são importantes para a manutenção da vida no planeta e não são apenas os grandes trechos de florestas que fazem a diferença. Mesmo uma única árvore á capaz de fazer maravilhas. - Elas salvam vidas: estudos realizados pelo Serviço Florestal dos EUA revela que cada árvore urbana salva em média uma vida a cada ano. O estudo indica que os espaços verdes atuam principalmente como filtro de poluentes prejudiciais para a saúde humana emitidos pelos automóveis. - Elas reduzem a violência: mais do que embelezar a paisagem urbana as áreas verdes podem ser um poderoso aliado no combate à criminalidade nas cidades. É o que aponta uma pesquisa feita pela Universidade de Temple, do estado americano da Pensilvânia. Segundo o estudo, a presença de árvores, arbustos e parques com vegetação bem cuidada nos centros urbanos ajuda a reduzir as taxas de certos tipos de crime, como agressão, roubo e furto, ao invés de estimular as práticas ilegais. O efeito dissuasor estaria enraizado no fato de a vegetação incentivar a interação social. - Ajudam a pôs as “ideias em ordem”: vida urbana e fadiga mental, uma dupla inseparável. Mas um passeio no parque pode dar um jeito rápido nesse problema. - Poupam energia: no verão fazem sombra fresca, no inverno atuam como isolantes térmicos. Se você sente que a cidade te deixa doente, uma pesquisa realizada por cientistas finlandeses tem a explicação para esse mal-estar. Eles descobriram que a falta de contato com a natureza torna as pessoas mais susceptíveis a desenvolver asmas, alergias e depressão. Ter ido a Maringá foi como passear num parque. E sem as árvores Maringá não seria Maringá. (Na foto a cidade de Maringá visto do Parque do Ingá, um dos parques do Centro da cidade).